quarta-feira, 22 de julho de 2009

UBERABA E O PODER LEGISLATIVO - 1837 AOS DIAS ATUAIS

Filho de Manoel Rodrigues da Cunha, que pertenceu à primeira Câmara Municipal de Uberaba, ao lado do Capitão Domingos da Silva e Oliveira, irmão de Major Eustáquio. Foi agropecuarista, constituinte estadual (1894), vereador e agente executivo (1927) e um dos fundadores do Clube da Lavoura e Comércio de Uberaba e do Jornal Lavoura e Comércio (1899). Viúvo de D. Mariana, casou-se com Elvira Castro Cunha e teve 13 filhos.

Como Agente Executivo, desapropriou o Cine São Luís, posteriormente adquirido por sua família e executou reparos no telhado do Mercado, inaugurado em sua administração.

Durante sua gestão, em 1924, foi fundada a Escola Técnica de Comércio José Bonifácio. Em 1925, época em que fraudes eram comuns, a polícia percorria as ruas, amedrontando os eleitores no período da eleição de dois candidatos a vereador. Leopoldino fechou a Câmara em prol da autonomia do município e contra a tirania do Estado, dizendo: Eu não entrego o que é do povo para ninguém. Seus adversários arrombaram a porta e destituíram Alexandre Barbosa e Lucas Borges. O Cine Teatro Royal foi inaugurado, o primeiro trem da Estrada de Ferro Oeste de Minas chega à cidade e o uberabense Alaor Prata era o prefeito do Rio de Janeiro, nomeado pelo Presidente da República.

Nenhum comentário: