sábado, 17 de outubro de 2009

UBERABA - FRANÇA


Uberaba-França é um caso antigo e podemos confirmar isso por meio dos registros sobre as primeiras impressões a respeito da cidade e da região, feitos por alguns viajantes franceses ou ligados a França, em passagem por aqui, no decorrer do século XIX.

Augustin François César Prouvençal de Saint-Hilaire: nascido em Orleans, veio para o Brasil em 1816, acompanhando uma missão extraordinária. Era naturalista e conhecedor da literatura científica e de viagens. Dentre os vários relatos sobre a Farinha Podre, deixou registrado: “... atravessei um pequeno córrego chamado Uberava Falsa, (...) O arraial é composto de umas trinta casas espalhadas nas duas margens do riacho, e todas, sem exceção, haviam sido recém construídas (1819), sendo que algumas ainda estavam inacabadas, quando por ali passei...”. Sua estada no Brasil resultou na obra Viagem à Província de Goiás.

Visconde de Taunay: era filho de franceses e passou por Uberaba, por volta de 1865. De acordo om seus relatos: “...a cidade continua em progresso. Constróem-se casas e há projetos de melhoramentos. As lojas estão bem sortidas, nelas se encontram todos os artigos da vida moderna. (...) Uberaba, situada na aba de extensos chapadões, ergue-se pela encosta de dois deles ...” Seu primeiro livro, La Retraite de Laguna, foi escrito em francês, logo após seu retorno da Guerra do Paraguai, em 1871. Em outras obras de sua autoria, Uberaba também é citada, como no trecho do conto Juca, o Tropeiro, do livro Histórias Brasileiras (1874): “...Uberaba, tão sossegadinha! Longe de tudo e de todos no meio de seus sertões...”

Conde D’Eu: genro de Dom Pedro II, hospedou-se na Quinta da Boa Vista, em sua visita à nossa cidade, quando se inaugurou a Estação Mogiana.

Neste ano da França no Brasil, vale destacar que a França, inegavelmente, está enraizada em nossa cultura e ligada à nossa história. Outros franceses para cá vieram, aqui permaneceram e constituíram suas famílias. Na mesma via, uberabenses aportaram no país da Torre Eiffel, motivados por estudo ou parentescos e, de passagem, ou com moradia fixa, ajudaram a consolidar os laços da Princesa do Sertão com a terra de Bonaparte.

Para saber mais sobre a França em Uberaba, leia no Jornal da Manhã, todos os domingos, artigos de autores uberabenses. Já foram publicados artigos de: João Eurípedes Araújo e Iara Fernandes (APU), Guido Bilharinho, Jorge Nabut, Eliane Marquez e Carlos Alberto Leite.

Nenhum comentário: