segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Breve História das Primeiras Escolas de Uberaba

Em 02 de março de 2010, Uberaba comemorou 190 anos de sua elevação à condição de Frequesia, fato que intensificou o desenvolvimento do povoado em todas as esferas, acelerou a sua ascenção à condição de Vila, em 22 de fevereiro de 1836, e, posteriormente, à Cidade, em 1856.

Na instância escolar, segundo Coutinho[1], por volta de 1815, Dona Eufrásia Gonçalves Pimenta fundou, no Arraial de Santo Antônio e São Sebastião da Farinha Podre, a primeira escola de instrução primária particular, onde as moças aprendiam a ler, a bordar e a fazer crivo, rendas e teçumes.

Em 1820, já como Freguesia, a alfabetização das crianças, conforme as leis da época, ficou sob a responsabilidade dos padres. Em 1836, o Presidente da Província de Minas Gerais, Manoel Dias de Toledo, mandou baixar uma portaria para alugar um prédio onde seria instalada a primeira Escola Pública Provinçal,  que só começou a funcionar em 1838.

 De acordo com Guimarães[2], após a instalação dessa primeira escola pública, muitas outras foram criadas, porém, por seu curto ciclo de vida, não alcançaram o século XX.

No século XIX, a Igreja Católica, como promotora de ensino, estabeleceu em Uberaba algumas escolas religiosas: em 1885, o Colégio Nossa Senhora das Dores (internato e externato), fundado por Dom Cláudio José Ponce Leão, Bispo de Goiás, sob a direção das Irmãs Dominicanas, isntalada, inicialmente, em uma das alas da Santa Casa de Misericórdia; em 1899, segundo Coutinho, o Bispo Dom Eduardo Duarte Silva criou o Seminário Diocesano do Sagrado Coração de Jesus, transformado no Externato Diocesano do Sagrado Coração de Jesus, entregue por Dom Eduardo aos padres Agostinianos Regoletos. No fim de 1902, “conforme vontade do próprio Bispo”, a direção foi passada aos Irmãos Maristas, que mantiveram o nome da escola.

Tanto o Colégio Nossa Senhora das Dores, quanto o Colégio Marista Diocesano, no início do século XX, funcionaram como internato feminino e masculino, respectivamente, gozaram de fama regional e atraíram, para Uberaba, jovens de outras localidades, em busca de estudo.


Cíntia Gomide Tosta



[1] COUTINHO. P. R. História dos Irmãos Maristas em Uberaba.
[2] GUIMARÃES. R."Templo do Bem": O Grupo Escolar de Uberaba, na escolarização Republicana (1908 - 1918)

Nenhum comentário: