quarta-feira, 8 de maio de 2013

EMBAIXADOR DA NAMÍBIA VISITA A SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUIVO PÚBLICO

Superintendente do Arquivo Público Marta Zednik de Casanova recepcionando o embaixador da Namíbia Leneekela J. Mboti


          A Superintendência de Arquivo Público recebeu, em 02 de maio de 2013, a visita do embaixador da Namíbia Lineekela J. Mboti e o primeiro secretário da embaixada Siluka Kabuku, acompanhados do intérprete Alex De Souza. Os visitantes foram recebidos pela superintendente Marta Zednik de Casanova, funcionários da instituição, historiadores, representantes da Academia de Letras do Triângulo Mineiro, Forúm Permanente dos Articulistas de Uberaba e Região, além de várias autoridades que se fizeram presentes.
          No discurso a Superintendente agradeceu a presença do embaixador e disse que é uma honra recepcioná-lo. Fez um pequeno histórico da Namíbia e disse que no Brasil considera-se a Namíbia como nossa coirmã no que se refere ao processo de colonização estrangeira, à cultura e hoje numa interação comercial muito importante. Disse ainda que Namíbia é um dos maiores produtores mundiais de minerais, entre eles, o diamante, o urânio, o ouro e outros. Destacou o grau de cidadania apurada da Namíbia, que mantém a capital um modelo de limpeza, não encontrando nenhum papel jogado nas ruas.
Durante a visita o embaixador teve oportunidade de conhecer as dependências e os serviços prestados pela Superintendência de Arquivo Público, acessar os documentos antigos, tais como um Processo Criminal de 1886, Compra e Venda de Escravos de 1872, Partilhas de Terra contendo, anexado, uma Carta de Sesmaria datada de 1799 e Livros de Atas de Câmara de 1845. Ele também pôde receber informações acerca de documentos históricos referentes a diversos assuntos e conhecer o processo de arquivamento desses documentos e do acervo fotográfico, disponíveis para pesquisa nesta instituição. Também foi explicado que a Superintendência de Arquivo é uma referência no interior de Minas Gerais, pois cumpre a gestão de documentos e segue as normas arquivísticas nacionais. A instituição sempre esta conectada com o Arquivo Municipal de Barcelona, que é uma referência mundial.
Ainda foi dito que a Superintendência é uma das principais detentoras de documentação da região a Superintendência de Arquivo Público tem atraído muitos pesquisadores uberabenses, nacionais e estrangeiros interessados em fazer pesquisas. Muitas teses de mestrados e doutorados são realizadas baseando-se nos acervos documentais da Superintendência.
Na oportunidade o embaixador também falou sobre os motivos que o trouxeram à Uberaba, dentre outros, conhecer as formas de criação de gado e os Programas do Governo Federal, como o Bolsa Família, além de conhecer a história de Uberaba.

A banda do 4º Batalhão da Polícia Militar recepcionou o embaixador tocando o Hino Nacional Brasileiro. Logo após, Hino Nacional da Namíbia foi ouvido na mídia eletrônica

A Superintendente fez um discurso exaltando a importância da Namíbia para o Brasil

Embaixador fala, em discurso, sobre a importância das relações Brasil-Namíbia

A Superintendente explica ao embaixador e convidados sobre a importância da instituição na preservação da memória de Uberaba e da Região. 

Visitantes observam documentos históricos de Uberaba juntamente com João Eurípedes, diretor do Departamento de Difusão Apoio à Pesquisa e Atendimento

O Embaixador presenteia a Superintendência com publicações e CD’S da Namíbia 

A visita foi finalizada com um coffee break à moda mineira servindo pão de queijo, café e queijo com goiabada


O embaixador Lineekela J. Moboti em seu discurso disse que o Brasil está separado da Namíbia somente pelo Oceano Atlântico


A História de Namíbia começa com os navegadores Portugueses Diogo Cão em 1485 e Bartolomeu Dias em 1486, que foram os primeiros a desembarcar na região costeira do país. 
            Em 1885 a Alemanha passa a administrar o território do Sudoeste Africano.
Em 1966 a SWAPO (South-West Africa People’s Organisation), movimento independentista, lançou uma guerrilha contra as forças ocupantes. Somente em 1990 a Namíbia tornou-se independente da África do Sul.
A Namíbia é o quinto maior produtor de urânio e quarto maior exportador de minerais não-combustíveis do mundo.  A extração de minerais é, portanto, a base da economia do país. 
            A Namíbia é sem dúvida um país de África que merece ser visitado pelas suas belezas naturais e educação do seu povo.  Ali se encontra a planta mais celebre do deserto, considerada uma das plantas mais antigas conhecidas pelo homem, a Welwitschia Mirabiles faz parte da beleza exuberante do país e ajuda a promover o turismo junto com a fauna e seus aspectos culturais.



Superintendente de Arquivo Público
Marta Zednik de Casanova





Nenhum comentário: