segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Lançamento de mais uma importante obra: "Minha paixão pelo esporte" - por Raimundo Sarkis


O mês de janeiro de 2015 está sendo marcado pelo lançamento de importantes obras sobre memórias da cidade de Uberaba. Agora é a vez de Raimundo Sarkis contar sua história de vida através de décadas dedicadas ao esporte no livro: "Minha paixão pelo esporte".   A obra foi lançada no dia 31 na Casa da Cultura - sede da Fundação Cultural de Uberaba. Fica ai a dica de uma boa leitura!
Capa do livro que será lançado por Raimundo Sarkis. (Foto: Thiago Riccioppo).

Recentemente no site do Globo Esporte da TV Integração, Sarkis contou muitas passagens sobre sua vida ao jornalista Alex Rocha. Confira a  seguir a íntegra da matéria!

"Nadar é minha saúde", diz idoso de Uberaba que compete desde 1940

Por Alex Rocha
Fonte: Globo Esporte

O amor de mais de sete décadas à natação é o assunto preferido do uberabense Raimundo Sarkis, de 86 anos. A relação iniciada em 1940 resultou em prêmios e, atualmente, se transformou no idealismo de recuperar o esporte na cidade e, também, em qualidade de vida. A carreira de Raimundo foi dividida em duas etapas: da iniciação até 1971, e o retorno em 1997.
O interesse pela natação quase foi interrompido com um afogamento. Entretanto, a vida preparou um convite para que Raimundo se aperfeiçoasse e integrasse a equipe do Centro de Cultura Física. No período de dois anos, o nadador era dono de dois importantes títulos regionais. 
– Assim que comecei, em 1939, eu quase morri afogado. Nessa época, veio o técnico de Belo Horizonte do Centro de Cultura Física, atualmente Associação Esportiva e Cultural, procurando alunos do primário que queriam aprender a nadar sem pagar por isso e teríamos que ser atletas do clube. Eu quis esquecer que afoguei e fui. Com 14 anos, eu tinha sido campeão do interior por equipe, passei para o Uberaba Tênis e fui campeão no Campeonato do Interior de Minas Gerais, na prova de 100m nado Livre, em Cambuquira, em 1942 – recordou.
Como técnico da Associação Esportiva e Cultura na estreia do Jockey, em 1947 (Foto: Raimundo Sarkis/ Arquivo Pessoal)
Em junho de 1949 fui ser professor de educação física no Senai. Lá fiquei por quatro anos e meio lecionando basquete, voleibol e demais esportes. Quando saí, fui dirigir a praça de esporte do Araxá Tênis Clube e fiquei até 1960, quando vencemos no interior e o estadual. Voltei para Uberaba em 1971 e lecionei dois anos no Colégio Marista.  Percebi que os idealistas foram desaparecendo, indo para cidades vizinhas ou deixando a natação. Não aparecia mais ninguém para puxar o esporte, então mudei de profissão e fui ser gerente de transportadora – relatou.

DE VOLTA ÀS PISCINAS
Com a criação em 1997 da categoria master, para atletas com mais de 25 anos, a paixão pelo esporte bateu forte no peito e Raimundo Sarkis voltou a nadar. A piscina é a do Jockey Club, conveniado com a prefeitura da cidade. Os resultados não demoraram. O nadador da terceira idade afirmou sempre garantir o lugar mais alto do pódio no Campeonato Mineiro, contra concorrentes da mesma faixa etária. A estante também tem lugar de destaque para os três ouros, quatro pratas e dois bronzes conquistados na disputa internacional All Américas, realizada em 2006 em São Paulo. 
Sarkis (esq.) retomou as competições e integra equipe master desde 1997 (Foto: Raimundo Sarkis/ Arquivo Pessoal)
– Minha rotina atual é de nadar 600m uma vez por dia, revezando quatro estilos: Livre, Borboleta, Peito e Costas. Assim está bom demais pra me manter. Nas competições, eu disputo sempre o nado Livre e algum outro estilo – revelou.
SAÚDE E FUTURO
A prática esportiva também é destacada pelo nadador como um tratamento para a saúde, em especial as doenças cardiovasculares. Mesmo com a orientação médica para evitar competições e treinos árduos, é na piscina que ele afirmou que coloca a saúde em dia.
– Qualquer dor é curada na piscina. Eu tenho dez stents (tubos metálicos implantados na artéria carótida para garantir o fluxo desobstruído do sangue) e o médico falou e eu concordo que nadar é minha saúde. Ele receitou que eu não faça força como em competição, mas eu ainda tenho o mesmo pique e me sinto bem na piscina – destacou.
O entusiasmo do assunto que Raimundo mais gosta de conversar é resultado da missão cumprida para o nadador, que lamenta pelo esporte ser trocado por outras formas de lazer.
– Eu me orgulho demais de ter participado da vida esportiva de Uberaba, pois eu não fazia só natação, organizava corridas e campeonatos de vôlei e basquete. Não tinha tantos meios de comunicação que prendiam as pessoas em casa, por isso o esporte tinha destaque – concluiu. 

Nenhum comentário: