quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Superintendência do Arquivo Público de Uberaba recebe doação de livros publicados recentemente pelo Arquivo Nacional


Neste mês a Superintendência do Arquivo Público de Uberaba recebeu do Arquivo Nacional/ Coordenação de Acesso e Difusão Documental, (órgão do Ministério da Justiça), a doação de excelentes livros frutos de pesquisas historiográficas. Os referidos livros são:


1 - CABRAL, Dilma (Org.) Estado e Administração: a construção do Brasil independente (1822-1840). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015.

A obra é decorrente das investigações realizadas pela equipe do programa de pesquisa Memória da Administração Pública Brasileira (Mapa). O trabalho aborda o processo de formação do Estado brasileiro nos seus primórdios a partir da Constituição imperial de 1824, por meio da análise criteriosa dos diversos órgãos que compunham a estrutura administrativa daquela época. O enfoque do estudo esta centrado em entender a destituição de um passado deixado por uma colônia, para a composição de um Estado independente sob a égide da herança da dinastia do Estado Monárquico português.



 2 – CÔRTES, Joana. Dossiê Itamaracá: cotidiano e resistência dos presos políticos da penitenciária Barreto Campelo (Pernambuco, 1973-1979). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015. (Prêmio Memória Reveladas, 4).

Este outro trabalho é fruto do Prêmio Memórias Reveladas, promovido pelo Arquivo Nacional. A obra versa sobre as experiências vivenciadas por ex-presos políticos na Casa de Detenção do Recife e na Penitenciária Barreto Campelo, na Ilha de Itamaracá, em Pernambuco, entre os anos de 1973 a 1979. Incorporando vieses interpretativos ousados, a pesquisa de Joana Côrtes se propõe mergulhar no imaginário sob a exuberância natural da Ilha em contraste com a violência experimentada no cotidiano da prisão política dos opositores da ditadura militar brasileira.



3 – MECHI, Patrícia. Os protagonistas do Araguaia: trajetórias, representações e práticas de camponeses, militares na Guerrilha. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015. (Prêmio de Pesquisa Memórias Reveladas, 5).

Inovador, este livro, mais um vencedor do Prêmio Memórias Reveladas - traz a luz da historiografia, a luta desencadeada na região do Araguaia contra a Ditadura Militar. Analisando a resistência armada durante a década de 1970, Patrícia Mechi identifica as trajetórias, práticas e representações de camponeses, militantes do Partido Comunista Brasileiro (PC do B) e dos militares que se engendraram neste contexto. As fontes utilizadas foram coletadas em regiões circunvizinha por onde esteve a Guerrilha, tendo em vista o reconhecimento dos vínculos que fundaram a dinâmica societária destas áreas. “Foi a convivência com pessoas da região, matutos, mateiros, posseiros, lavradores, homens e mulheres do campo, que lhe permitiu ouvir os contos, rememorações, lembranças e mitos sobre a guerrilha”(Vera Lucia Vieira, prefácio da obra).



*** Após a catalogação, estes livros estarão disponíveis para consulta pública na sede da Superintendência do Arquivo Público de Uberaba.

Superintendência do Arquivo Público de Uberaba
Texto: Thiago Riccioppo

Nenhum comentário: