quinta-feira, 21 de junho de 2018

DOCUMENTO EM DESTAQUE: O jornal "O Waggon"



O título de um dos mais antigos jornais publicados em Uberaba, "O Waggon", é uma expressão que tanto nos idiomas francês, alemão e inglês se traduz como "O Vagão". A edição número 1 do periódico semanário é datada de 5 de fevereiro de 1884. Ao longo de sua existência foram publicadas 50 edições. Funcionava na Rua Vigário Silva nº 2, onde era dirigido por Manoel Felipe de Souza e José Augusto de Paiva Teixeira.

O título revelava claramente o propósito ao qual serviria o jornal, que era a defesa política para o prolongamento das linhas férreas da Companhia Mogiana até Uberaba que, consequentemente, estenderiam-se aos  municípios do Prata, Monte Alegre até o Estado de Goiás.

Nos trechos iniciais da primeira edição, dizia: "O seu principal intento é curar dos interesses dos referidos municípios e, sobretudo, advogar o traçado da via-férrea Mogiana por Uberaba, Monte Alegre e sul do Goiás".

Observa-se que havia na época uma disputa que cogitava dos trilhos da Mogiana não passar por Uberaba e era essa a insatisfação dos redatores, como narrado no trecho a seguir:

 (...) Jamais pensarmos que a via - férrea Mogiana, tendo por ponto objetivo a capital de Goias, deixasse de procurar Uberaba, uma das mais importantes cidades de Minas, e cujo adiantamento moral e material deve constituir o verdadeiro orgulho de todos os habitantes do Triângulo Mineiro, compreendendo entre o Rio Grande e Paranaíba. Jamais pensarmos que a Companhia Mogiana, a bem de seus próprios interesses, transpusesse o Rio Grande em demanda de outro ponto que não a cidade de Uberaba, cujos elementos de vida e animação lhe asseguram um risonho futuro. Nunca, nunca cogitaremos na possibilidade de um decreto que extraviasse a estrada de um alinha quase reta e de uma zona rica em tudo o que pode interessar a Companhia.

 O acervo do semanário "O Waggon", encontra-se digitalizado a disposição de pesquisadores na sede da Superintendência do Arquivo Público de Uberaba.




Imagem de capa da primeira edição do jornal "O Waggon". Acervo: Superintendência do Arquivo Público de Uberaba.

Texto: Thiago Riccioppo

terça-feira, 19 de junho de 2018

Superintendência do Arquivo Público de Uberaba publica oito obras raras - Almanach Uberabense, em formato digital "e-books".


 A Superintendência do Arquivo Público de Uberaba resguarda importante acervo documental, intitulado Almanach Uberabense. Com o objetivo de preservar os originais foi executada sua digitalização e, posteriormente, foi transformado em oito e-books para divulgá-los, viabilizando, assim, a compreensão da história de Uberaba.

O Almach Uberabense constitui uma extensa publicação anual, de interesse coletivo, em prol do engrandecimento intelectual, social, comercial, econômico e material de Uberaba. A primeira edição aconteceu em 1º de janeiro de 1895, por Deoclesiano Veira e Arthur Costa. Consta de uma brochura de 240 páginas, medindo 12,5cm x 9,0cm. Foi impressa no Rio de Janeiro, na Rua Quitanda, 79 b, pelos senhores Alexandre Ribeiro & Companhia.

 A publicação do Almanach Uberabense foi interrompida após a primeira edição, em 1895, e continuou em 1903, pelo diretor proprietário, D. Vieira e Aredio de Souza. Seu formato era igual ao da primeira edição de 1895, e maior número de páginas, impresso nas oficinas tipográficas da livraria Século XX.     A partir de 1903, o Almanach Uberabense publicou sempre um grande número de ilustrações em clichês -  gravuras, sobre assuntos diversos.

As publicações do Almanach após 1904 reduziram-se à dimensão de 12,5cm x 8,0cm.
O Almanach reportava temas diferenciados, entre eles;
 - exaltou Uberaba naquela época, como uma das primeiras cidades brasileiras em desenvolvimento, e a terceira ou quinta do Estado;
 - noticiou a questão da imigração estrangeira para Uberaba, que muito contribuiu para o desenvolvimento da lavoura e da indústria pastoril;
 - reportou a construção de muitos traçados de linhas férreas, entre outros, a estrada de ferro que se dirigia a Frutal, o ramal de Uberabinha a Catalão, que mais tarde viriam a estreitar os vínculos de Mato Grosso e Goiás;
-  noticiou a relação das principais casas comerciais e industriais, do pessoal dos artistas, dos funcionários públicos etc;
- veiculou a história de Uberaba, reportada pelo advogado, coronel Antonio Borges Sampaio;
- reportou algumas peças literárias e composições poéticas.

A circulação do Almanach Uberabense encerrou definitivamente, com a publicação de 1911.




Os e-books estão disponíveis no site da Prefeitura: http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/conteudo,42628 (Secretaria de Governo – Superintendência do Arquivo Público de Uberaba) e no Blog: arquivopublicouberaba.blogspot.com