terça-feira, 9 de abril de 2019

JORNAL “A FLAMA ESPÍRITA”


O prefeito de Uberaba, Paulo Piau Nogueira, e a superintendente do Arquivo Público, Marta Zednik de Casanova, recebem, no dia 1º de abril de 2019, às 14h30m, no gabinete, a doação do acervo do jornal A Flama Espírita, constituído por 8 volumes datados de 1961 a 2003, da União da Mocidade Espírita de Uberaba, mantenedora do jornal, através do seu presidente e diretor, Marcio Roberto Arduini. 

Coleção do jornal "A FLAMA ESPÍRITA" de 1961 a 2002
Agora pertencente ao acervo da Superintendência do Arquivo Público de Uberaba

 O jornal foi fundado em 27 de setembro de 1925, por Arlindo Evangelista, José Humberto da Silva, Ruy Novaes e Hercílio Martins da Costa. Suas edições iniciais estavam direcionadas à literatura, arte e questões sociais.

         No dia 1º de setembro de 1930, o professor Alceu Novaes, Dr. Inácio Ferreira, Dr. José Thomaz de Oliveira e Emmanoel Martins Chaves assumiram a sua direção e mudaram o seu enfoque, dotando-o de uma orientação espírita. Nessa época, o jornal intitulava-se "Flamma".

         Sua circulação era semanal, tinha formato semelhante ao "Standard", pouco difundido na época, cujas dimensões aproximavam ao papel A2.

         Em 1942, teve a sua circulação proibida por tempo indeterminado por determinação do DIP - Departamento de Imprensa e Propaganda, que era um órgão responsável pela censura e repressão durante o governo Vargas.

         Contudo, a Constituição Federativa do Brasil de 1946 revogou essa decisão autoritária, restabelecendo a divulgação pela comunidade kardecista de Uberaba. O jornal voltou a circular, desta vez sob a administração da "União da Mocidade Espírita Uberabense", fundada em 1940.

         Em 1950, de acordo com as normas do Ministério do Trabalho, em virtude de publicação homônima, registrada anteriormente, precisou alterar o nome, ampliando-o para "A Flama Espírita".

         Editava noticiários e o pensamento do universo espírita, onde se destacavam a história e as realizações das associações espíritas da cidade, como Sanatório Espírita de Uberaba, Lar Espírita, Grupo Escola Espírita Professor Chaves, e informações sobre as principais atividades desenvolvidas em Uberaba, como palestras, eventos e conferências. O primeiro congresso espírita do Brasil também recebeu destaque jornalístico no dia 23 de janeiro de 1982, e suas informações podem se tornar objeto de pesquisas de estudantes e historiadores.

         No acervo do jornal, entre outros assuntos de relevância, é possível identificar as principais realizações espíritas da cidade, assim como conhecer personagens de destaque, não só pelas práticas desenvolvidas nas instituições espíritas, como também pela participação na vida social e política de Uberaba, como: Henrique Von Krüger, Fausto de Vito, Inácio Ferreira, Augusto César Vanucci, Odilon Fernandes, Divaldo Pereira Franco, Danival Roberto Alves, Carlos Bacelli, Antuza Martins, Jonas Dutra, Padre Sebastião Carmelita e Ivone Pereira, além do líder Chico Xavier.
Jornal "A Flama Espírita", 23 de janeiro de 1988 e dezembro de 1995

O redator do jornal, Vivaldo Bernardes de Almeida, em uma de suas últimas contribuições à Flama Espírita, demonstrou que os valores morais e espirituais sempre foram marca constante em seu jornalismo. Durante a festa de comemoração de 75 anos de vida do jornal, no ano de 2000, disse que "homens e mulheres, presentes e ausentes - dignificaram, de algum modo, a sua e a nossa 'Flama Espirita'. (A Flama Espírita, Nº 2717, setembro de 2000).


O Jornal A Flama Espírita continua circulando até hoje.


Marta Zednik de Casanova
Superintendente do Arquivo Público de Uberaba


Imagens da cerimônia do recebimento do acervo do Jornal a "A Flama" realizada no Gabinete do Prefeito Paulo Piau.