terça-feira, 28 de abril de 2015

Rede Globo do Distrito Federal apresenta documentário sobre Missão Cruls com trechos filmados em Uberaba


Em 1892, por determinação do Presidente Floriano Peixoto, uma missão técnico-científica liderada pelo astrônomo Luiz Cruls partiu do Rio de Janeiro, passando por várias cidades, entra elas, Uberaba, com destino ao Planalto Central. O objetivo da missão era demarcar o local, um quadrilátero, onde mais tarde em 1960, durante o governo do Presidente Juscelino Kubitschek foi fundada a nova capital do país - Brasília.

O cientista belga Luis Cruls, acompanhado de 21 pesquisadores, percorreu em 1892 mais de 4 mil quilômetros do Rio de Janeiro ao Planalto Central. Devido à imensidão da região e a falta de pontos referenciais, a expedição guiava-se pelas estrelas. A missão durou de maio a novembro de 1892 e registrou a análise da flora, fauna, rios, solos, clima e modo de vida dos habitantes.

Imagem extraída do documentário "Cruls: A Missão que marcou a Capital", produzido pela DFTV, filiada da Rede Globo no Distrito Federal

O documentário "Cruls: A Missão que marcou a Capital" produzido pela Rede Globo/DF, em abril de 2015 para comemorar os 55 anos de Brasília, retrata a importância da Expedição Cruls que divulgou cientificamente os aspectos geográficos, econômicos e humanos do Brasil Central contribuindo para a criação da capital do país em 21 de abril de 1960.

* Apresentado de 20 a 24 de abril na DFTV, você poderá assistir nos links abaixo, as partes que compõem o documentário "Cruls: A Missão que marcou a Capital":

Parte 1 - Clique aqui!
Parte 2 - Clique aqui!
Parte 3 - Clique aqui!
Parte 4 - Clique aqui!
Parte 5 - Clique aqui!
Parte 6 - Clique aqui!

Texto: Thiago Riccioppo

quarta-feira, 22 de abril de 2015

50 anos de cativeiro em uma breve história de Ricardo, um escravo fugido

Em 13 de maio de 2015 comemora-se 127 anos que foi decretada a abolição da escravatura no Brasil.

Para refletir sobre a escravidão negra na região do Triângulo Mineiro, a Superintendência de Arquivo Público apresenta um anúncio perdido no cotidiano das páginas do Jornal Gazeta de Uberaba, que marca o ano de 1887. Tratava-se de uma recompensa que um proprietário destinava a quem encontrasse seu escravo fugido. Um negro "pardo" de 50 anos, em idade avançada para época, classificado por imagens pejorativas comuns naquele contexto, como: "falta de dentes na frente", "meio calvo", "bastante gago" e "uma ruptura de um lado abaixo do umbigo". 
Anúncio sobre "Escravo Fugido" no Jornal Gazeta de Uberaba, de 1 de fevereiro de 1887 Apud. Catálogo para estudo da Escravidão em Uberaba. Uberaba: APU, p. 157.

Foram séculos de escravização de negros e índios no Brasil, cujo sistema constituiu como um dos pilares da formação histórica e da nacionalidade brasileira. Lembramos que após um ano do referido anúncio, no dia 13 de maio de 1888, os escravos ganhariam definitivamente a liberdade. No ano seguinte, o país se tornaria uma República e Uberaba receberia as linhas férreas da Companhia Mogiana. Eram tempos de grandes transformações, mas que não trouxeram efetivas mudanças para índios, negros, mestiços e pobres!

Há um longo caminho para se conquistar uma sociedade justa e com oportunidades para todos. Contudo, não podemos deixar de parabenizar ao povo brasileiro que construiu e constrói a história desta terra, antes e depois dos portugueses!

Texto: Thiago Riccioppo


Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais e Arquivo Público Mineiro lançam um portal de documentação na internet sobre a Inconfidência Mineira


Capa do volume I da publicação dos Autos de Devassa da Inconfidência Mineira de 1936
Acervo: Biblioteca Nacional

Nas décadas de 1970 e 1980 a Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais imprimiu, em 11 volumes, e sob os auspícios da Câmara dos Deputados, os Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, em edição comentada e esgotada há anos.
A partir de tais volumes digitalizados pelo Arquivo Público Mineiro, existentes na Biblioteca Luiz de Bessa, a Imprensa Oficial, mediante exaustivo trabalho técnico, transformou cerca de 5.500 imagens que possibilitou  a aplicação de um completo sistema de buscas, praticamente isento dos comuns erros que aparecem nesse tipo de transposição.
E mais: ambas as formas podem ser vistas lado a lado, comparando-as, ou seja, os 11 volumes originais da edição dos anos 1970 e 1980 em imagem ao lado da apresentação em pdf que possibilita a utilização do sistema de busca.
A iniciativa representa um salto enorme no sentido de democratizar as informações contidas nos Autos de Devassa da Inconfidência Mineira – ADIM - à sociedade, através do citado sistema de buscas e também com o gradativo acrescentamento, em ícones específicos, da possibilidade de acesso a trabalhos científicos afetos ao tema produzidos e disponíveis através de links de instituições de ensino e pesquisa. Outros ícones também serão continuamente alimentados com iconografias de cidades históricas mineiras, livros, revistas e jornais contendo materiais relativos ao assunto.
Tudo isto única e exclusivamente no sentido de dotar os historiadores e pesquisadores de mais ferramentas e informações que permitam, continuamente, trazer mais luzes a um dos maiores, senão o maior, movimento libertário nacional.
Democratizando informações históricas, a Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, este Estado da Liberdade, por sua essência e natureza, tem plena convicção de estar cumprindo sua missão institucional de fomento e apoio à cultura.
Apoio que a Imprensa Oficial também recebe neste projeto das várias instituições e entidades parceiras desta Autarquia, cujas marcas e breves opiniões estão contidas a seguir, continuando as frutíferas colaborações recíprocas agregadas recentemente.
O lançamento, na abertura da Semana da Inconfidência de 2015, na cidade de Tiradentes, ainda mais acentua a responsabilidade histórica da Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, nascida em Ouro Preto, cidade do lançamento, há 123 anos, precisamente no dia 21 de abril de 1892, do número inaugural do Diário Oficial “Minas Gerais”.
*Todo este material pode ser consultado no Portal da Inconfidência acessando aqui!!!

Fonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Conquista histórica para Uberaba! Superintendência de Arquivo Público vai digitalizar acervo do Gazeta de Uberaba para disponibilização na internet

Imagem do Cel. Tobias Antônio Rosa - proprietário do Jornal Gazeta de Uberaba de 1879 a 1915
 Fonte: Acervo Superintendência de Aquivo Público, de Uberaba - SAP.
O ex-prefeito de Uberaba Arnaldo Rosa Prata assina hoje - 10 de abril, no gabinete do prefeito Paulo Piau, o termo de empréstimo do acervo do jornal de sua propriedade, o “Gazeta de Uberaba”, para que a Superintendência de Arquivo Público possa digitalizá-lo.

Arnaldo Rosa Prata é neto de um dos antigos proprietários do jornal, o Cel. Tobias Antônio Rosa. O “Gazeta de Uberaba” circulou de 1879 a 1915 e foi o primeiro jornal no município veiculado diariamente.

A digitalização deste acervo será mais uma realização do projeto “Hemeroteca Digital”, uma parceria da Superintendência de Arquivo Público, de Uberaba - SAP com o Arquivo Público Mineiro - APM e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG.

 O projeto tem por finalidade disponibilizar para consulta pública os principais acervos jornalísticos da região do Triângulo Mineiro. Para isso, está sendo desenvolvido um site na internet pela Codiub, empresa que administra os recursos de tecnologia da informação do município e a Superintendência de Arquivo Público. Em breve todos terão acesso a esse riquíssimo universo de informações de nossa história!