Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2008

UBERABA E O PODER LEGISLATIVO - 1837 AOS DIAS ATUAIS

Imagem
Francês, diplomado em medicina, veio para Uberaba, em 1853, como médico do Batalhão de Guardas Nacionais. Homem erudito e orador fluente, por aqui, exerceu várias funções, auxiliando Fernando Vaz de Melo a fundar, em 1842, o primeiro estabelecimento de instrução secundária em Uberaba (atual Colégio Marista Diocesano). Em 1859, edificou um colégio para o ensino de português, latim, francês, geografia, aritmética, geometria e retórica (Rua Manoel Borges). Em 1862, participou da construção do Teatro São Luís e escreveu peças para serem ali representadas. Jornalista, iniciou a imprensa do Triângulo Mineiro e publicou, em 1874, o primeiro jornal de Uberaba e do Triângulo, nomeado de Eco do Sertão, O Uberabense, Monitor Uberabense, O Progresso e O Paranaíba. Além disso, assumiu os cargos de professor, médico, vereador, advogado e inspetor da instrução pública. Apoiou a construção da Santa Casa. Deu ao "Sertão da Farinha Podre" o nome de "Triângulo Mineiro" e, em 1875, de

CAMINHADA PELA SUSTENTABILIDADE

Imagem
Em parceria com Instituto Agronelli, o Arquivo Público participou, sábado, dia 19 de julho, pela manhã, da caminhada pela sustentabilidade. O evento, realizado pelas crianças atendidas pelo Instituto, teve como objetivo conscientizar a população da cidade de Uberaba da necessidade de preservação das praças e do meio ambiente. A caminhada percorreu: a avenida Leopoldino de Oliveira, o Calçadão da Artur Machado, a rua São Sebastião e finalizou na praça Dom Eduardo, com uma homenagem a Edgar Francisco da Silva, morador do bairro Boa Vista que criou e manteve, onde antes, havia um matagal, uma área verde. Sua iniciativa eliminou a convivência com o perigo representado pelo terreno baldio. Posteriormente, uma das praças do bairro passou a ter seu nome. No centro da Dom Eduardo, Sebastião Donizete da Silva, filho de Edgar, plantou uma muda de ipê ao lado de uma placa na qual está o nome do homenageado, para sempre guardado na memória da cidade. Luiz Henrique Caetano Celuralle

O PODER LEGISLATIVO - 1837 AOS DIAS ATUAIS

Imagem
Durante sua gestão, ocorreram os seguintes fatos: · Fundação, pelo professor Manoel Terra, da Escola Pública de instrução primária do sexo masculino. · Organização da Companhia Dramática Uberabense (1862). · Primeira apresentação de Teatro amador, na cidade, mostrando a história de Uberaba (1863). · Calçamento da entrada do beco do comércio (antiga rua do Comércio). · Início da produção de tabaco no município. · Melhoramentos nas estradas. · Aumento do volume de negócios relacionados ao gado. A Câmara nota um interesse maior da Província em relação às negociações de gado. · Inauguração do teatro (1864). · Construção de um Lazareto [1] , devido à epidemia de bexiga (varíola), vacinação da população e distribuição gratuita de medicamentos. Ao mesmo tempo, apesar dos esforços das autoridades, a varíola espalhou-se e a Prefeitura Municipal teve que providenciar a vacinação dos habitantes e a distribuição gratuita de remédios. [1] Na época, era comum a construção de hospitais fora da cidad

XIV CONGRESSO REGIONAL DE EDUCADORES DE UBERABA E TRIÂNGULO MINEIRO

O Arquivo Público participará do XIV Congresso Regional de Educadores de Uberaba e do Triângulo Mineiro , promovido pela Secretaria Municpal de Educação e Cultura, cujo tema, neste ano, abrange a comunicação no processo educativo e as tecnologias da informação. MINICURSO: História de Uberaba: o documento histórico como informação e as novas tecnologias (blog) como subsídio para a prática escolar CONTEÚDO: estudo da história de Uberaba, manuseio de documentos históricos, realização de pesquisa relacionada a temas variados (a partir de fotografias, atas, inventários, jornais e livros de historiadores uberabenses) e interação com o blog do Arquivo. DATA: 01/08 (Sexta-feira) – 07h 30min às 11h 30min LOCAL: sede do APU MINISTRANTES(s): Luiz Henrique Caetano Cellurale, Marise Diniz, João Araújo e Iara Fernandes OBJETIVO GERAL: promover a ampliação dos conhecimentos relativos à história de Uberaba, situando a documentação do Arquivo como fonte de pesquisa e o blog como alternativa de c

O PODER LEGISLATIVO - 1837 AOS DIAS ATUAIS

Imagem
Nasceu em Ouro Preto, em 1803 e chegou a Uberaba, em 1835. No mesmo ano, tornou-se sócio do Ten. Cel. Barcelos, mas desfez-se da sociedade e fundou novo estabelecimento comercial no Largo da Matriz, canto da Rua São Sebastião. Exerceu os cargos de: subdelegado, delegado de polícia, vereador, Juiz Municipal Suplente e Juiz de Paz (leigo). Deu continuidade às obras da reforma da Igreja da Matriz, da qual foi zelador e, em 1856, autorizou a construção do Cemitério São Miguel, desvinculado da matriz. Durante sua gestão, o Coronel Borges Sampaio e o professor Manoel Terra começaram a atuar politicamente no município. A Câmara Municipal, ao solicitar ao Governo que a vila fosse elevada à categoria de cidade, fundamentou-se em recenseamento feito por Sampaio. Em 2 de maio de 1856, Uberaba, com aproximadamente dois mil habitantes no espaço urbano, teve a permissão, para tornar-se cidade, de acordo com a lei provincial nº 759. No mesmo ano, a antiga igreja de Santo Antônio e São Sebastião foi

UBERABA E O PODER LEGISLATIVO - 1837 AOS DIAS ATUAIS

Imagem
Foi um dos três sobreviventes de doze filhos e, em 1835, muda-se de Araxá para Uberaba com sua família. Era muito popular, pois além de ser proprietário de um estabelecimento comercial do lado direito do Largo da Matriz Nova, hospedava – em sua residência – os fazendeiros que vinham ao povoado. Exerceu os cargos públicos de agente do correio, juiz municipal suplente, vereador e presidente da Câmara e, ainda: apoiou a construção do Hospital de Misericórdia de Uberaba, organizou os distritos, indicando fiscais para conferir as rendas e designou juizes de paz para São Pedro de Uberabinha e o distrito de Dores do Campo Formoso. Faleceu, aos setenta e nove anos, em 23 de dezembro de 1887. Foi homenageado pela Câmara Municipal com a nomeação, no Bairro Estados Unidos, da Rua Major Barcelos, que principiava no Largo Santo Rita e findava no Largo da Piedade. Durante a sua gestão, foram vários os acontecimentos: · Elaboração e submissão à aprovação da Assembléia Legislativa de Ouro Preto, de u

ATAS DA CÂMARA

Imagem
Para a pesquisa referente aos Prefeitos de Uberaba (textos publicados semanalmente neste Blog) foram utilizadas fontes primárias que fazem parte do acervo do Arquivo Público de Uberaba. Entre elas as atas de reuniões da Câmara Municipal. A série: Atas de Reuniões da Câmara contém desde o Livro 1 - 07.07.1857 a 02.03.1871 até o Livro 169 - 27.04.1993 a 29.04.1993

NOSSAS PRAÇAS

Imagem
À esquerda, terreno onde foi construído o prédio dos Correios. À direita, onde se localiza a Praça Henrique Krüger, atualmente. O historiador do Arquivo Público de Uberaba, Luiz H. C. Celuralle, junto à historiadora Maria Antonieta Borges Lopes, pesquisou e o JM publicou, de 13 de janeiro a 29 de junho, os aspectos históricos de oito importantes bairros da cidade e aproximadamente quarenta biografias de personalidades que nomeiam as praças desses bairros. As publicações, relacionadas abaixo, já estão disponíveis para pesquisa. CENTRO Henrique Krüger, Manoel Terra e Rui Barbosa SÃO BENEDITO Ângela, Princesa Isabel, Aurélio Luiz da Costa, Dr. Jorge Frange, Vicentino Rodrigues da Cunha e Chico Corrêia MERCÊS Cinira Bracarense, Ressurreição, Dom Eduardo, Filhinho Batista, Altamira, dos Lírios, das Margaridas, Graziela Soares e Leda Juliano FABRÍCIO Santa Terezinha, São Judas Tadeu, Estevão Pucci, Roberto Medina Finzi, João Vito, Magalhães Pinto, Antônio Delfino e Manoel Inocêncio Ferr

UBERABA E O PODER LEGISLATIVO - DE 1837 AOS DIAS ATUAIS

Imagem
Nasceu em Ouro Preto e veio para Uberaba, em 1815, permanecendo, até 1855, no cargo de Vigário. Tio e educador dos escritores Bernardo Guimarães e Manuel Joaquim da Silva Guimarães, atribui-se a ele o fato de ser o primeiro a escrever e publicar poemas na região. Primeiro vigário de Uberaba, provavelmente foi também o primeiro historiador da cidade, mas seus registros – de próprio punho – não existem mais. Era irmão do Coronel Carlos José da Silva, conhecido político do partido Conservador. Por alvará de Dom João VI e, como vigário encomendado até 1825 e vigário colado, até 1855, administrou a Igreja construída por requerimento do sargento-mor Antônio Eustáquio de Oliveira e Silva. Durante sua gestão, as relações comerciais entre Uberaba, a corte (Rio de Janeiro), o Porto de Santos e as regiões de Goiás e Mato Grosso foram implementadas a partir da redução da distância entre Uberaba e Franca, por meio da abertura de um novo caminho em direção ao Estado de São Paulo, partindo do Porto

ACERVO DE DOCUMENTOS ACADÊMICOS E REPRODUÇÕES DISPONÍVEIS PARA PESQUISA

A) Monografias, dissertações e teses 1. A CONQUISTA DA LIBERDADE: CENAS DO COTIDIANO UBERABENSE NAS ÚLTIMAS DÉCADAS DA ESCRAVIDÃO NO BRASIL Florisvaldo Ribeiro Júnior Universidade Federal de Uberlândia Uberlândia – MG 1989 2. A CONQUISTA DO CAPITAL: AS TRANSFORMAÇÕES NO ESPAÇO RURAL DE CONQUISTA Maria Benedita Cavalini Universidade Estadual Paulista Rio Claro – SP 1988 3. A CONSTRUÇÃO DA CIDADE: A CÂMARA MUNICIPAL DE FRANCA E A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO Cacilda Camássio Lima Universidade Estadual Paulista Franca – SP 1995 4. A HISTÓRIA CONTADA ATRAVÉS DA ARQUITETURA DE UMA RUA Éder Donizete Pimenta Universidade de São Paulo São Paulo – SP 1978 5. A HISTÓRIA DOS MEIOS DE TRANSPORTE DE UBERABA Faculdade de Educação de Uberaba Trabalho Acadêmico de alunos Uberaba – MG 2000 6. A IDÉIA DE SALVAÇÃO EM FREI BARTOLOMÉ DE LAS CASAS Reinaldo Rossi Universidade Estadual Paulista Franca – SP 1993 7. A IRMANDADE DE SÃO JOSÉ DOS HOMENS PARDOS OU DE BEM CASADOS – VILA RICA (1725 – 1790) Vânia Fát