domingo, 5 de julho de 2020

O grande artista da areia

       O artista Jamie Harkins desenvolve desenhos nas areias das praias da Nova Zelândia.

         Trata-se de uma criação efêmera e espetacular, pois, em poucos instantes depois de criada, a obra se apaga devido à maré. Ele é considerado um gênio da perspectiva. Com um simples pedaço de madeira, o artista desenha sobre a areia obras em 3D. De um ponto de vista específico, a ilusão e a magia de sua obra aparecem. Para o criador dos desenhos, “a arte é um modo de vida e eu espero que meu trabalho inspire outras pessoas a acessar a sua imaginação... a viver a criatividade da vida!”

sábado, 4 de julho de 2020

UM DOMINGO EM UBERABA

Jorge Alberto Nabut


Ao lançar a genealogia dos Rodrigues da Cunha, Valias e Venceslau, o dinâmico Antônio Ronaldo Rodrigues da Cunha chamou a atenção pela fase de cronista da esposa Leila Venceslau (1934 - 2013), colaboradora dos jornais O Triângulo, com 39 crônicas, em 1952, e Correio Católico, com 37 crônicas, em 1954. Dali, selecionei a do título acima, que foi publicada em 29 de abril de 1952. Confiram: 

“UM DOMINGO EM UBERABA, cidade festeira, não deixa escapar nenhuma oportunidade em que possa dar largas a seu espírito jovial. O domingo aqui, por si mesmo, é uma festa. O bonito céu uberabense abre o dia, irradiando claridade, brilhando como os olhos das garotas, felizes diante de um programa farto. O UTC monopoliza a manhã. Sento-me à varanda. Uma brisa mansinha faz dançarem as ramagens verdes, ao som da música que irrompe do salão. Lá embaixo a piscina recebe os nadadores que aproveitam a folga dominical. A bolinha na quadra de tênis, pulando de lá e de cá, perde em vivacidade para a criançada que corre pelas avenidas. Os “brotinhos” esportistas, em uma algazarra despreocupada, exibem sua classe e graciosidade no ciclismo. Às 11 horas inicia-se o coquetel dançante. Toaletes claras e frescas, trajes esportivos e música, maestro. Mas aquele parzinho, conversando lá no balanço, nada ouve, nada vê. À 1 hora a orquestra encerra a sessão e, para consolar a turma insatisfeita, convida-a para a brincadeira, logo à noite. A vesperal do Metrópole é ponto certo. O footing da 1 e meia às 3 horas confunde as águas do riacho e o tempo, que vão e não voltam mais e, por isso, não compreendem o vai e vem manhoso pela Avenida. Às 4 horas chega a vez do Jóquei Clube, de ambiente cordial e aristocrático. Amigos conversam, as mesinhas todas tomadas, somente gente moça no salão. A cronista, a um canto, observa os pares, a quantidade de pessoas desconhecidas, os cabelinhos curtos e tratados. Algumas frases chegam-lhe ao ouvido e ela, sozinha, no meio de tanta gente, fica saudosa de uma conversinha amiga, com vontade de ter vontade de rir, como a menina da mesa vizinha. Chega a noite. Duas filas longas diante do Metrópole sugerem ao Hugo Rodrigues da Cunha, gerente da Cia. Cinematográfica S. Luís, a criação de bilheterias extra aos domingos. É de praxe a parada de elegância à noite, faça calor, frio, ou chova canivetes... O UTC encerra o dia com outra hora dançante. Depois de tudo isso, ainda ousam dizer que o domingo é o dia do descanso. Pode ser, mas não em Uberaba.”

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Águas Brilhantes 13

Esportes em Uberaba

Semana passada recebemos no Arquivo Público de Uberaba, a equipe da Funel. No encontro, nos apresentaram o projeto Memorial do Esporte. Se tudo der certo, ele será implantado no estádio Uberabão. Ideia maravilhosa: contar a história dos esportes em Uberaba, utilizando os mais modernos recursos tecnológicos e permitindo acesso gratuito a todo esse conhecimento. O assunto de hoje vai em homenagem ao Vandinho, Jéssica e Luis Medina.


1933. A meninada da Escola Santa Terezinha fazendo ginástica. Ali, terra, só terra.  A molecada descalça. E a professora, postura ereta, atenta.                         


Janeiro de 1952. Prova ciclística. Trajeto: ruas do centro de Uberaba.  Vitória tranquila e sossegada de Antenor José Borges.


1952 – Treinador Jamil orientando o time feminino de vôlei do Jockey Club.

Miguel Jacob Neto

terça-feira, 23 de junho de 2020

ÁGUAS BRILHANTES - 13

                                             BOAS AÇÕES

Solidariedade é o tema hoje. Como trabalho com história, vou lhes mostrar alguns pequenos exemplos sobre o assunto que encontrei nos jornais Gazeta de Uberaba e Lavoura e Comércio, publicados em  fins do século XIX e princípios do XX.

1 -   Ao Dr. Nicolau Bruno

O Jornal Gazeta de Uberaba, em sua edição de 30 de novembro de 1879, exibe uma nota de agradecimento do  comerciante João Borges de Araujo ao dr. Nicolau Bruno.

- “(...) venho trazer ao conhecimento do publico o acto ha pouco praticado nesta cidade pelo distincto Sr. Dr. Nicolau Bruno, que, a meu pedido e por sciencia da indigencia, se prestou gratuitamente ao tratamento e importante operação praticada na infeliz e desvalida M.....

- E conclui:

E eu digo que tão bacana quanto o ato do doutor Nicolau, foi o agradecimento público do sr. João.

2 –  Gratidão Eterna

3 -  Achou-se

Em março de 1880, um cidadão que não se identificou, encontrou em uma das poeirentas ruas de Uberaba, um alfinete de ouro.

E o que fez?

a (  ) – Levou de presente para sua esposa

b (  ) – Vendeu a peça e  gastou  o dinheiro  na loja  do Joaquim Roza

c (  ) – Deixou na tipografia do Jornal Gazeta para que seu dono fosse buscá-lo.

Isto. Acertou quem respondeu: C.

Hoje, em muitos ambientes, aquele cidadão, seria considerado um ......

4 – Avisos  

Vez em quando, em princípios de 1900, apareciam, no Lavoura e Comércio, estes bons recados:

                                                                                       Miguel Jacob Neto

A história de Uberaba poderá ser consultada online


     Transformação digital  

          O Presidente da Codiub - Inteligência Digital, Denis Silva, esteve reunido com o superintendente do Arquivo Público de Uberaba na semana passada com a finalidade de estudar a viabilidade técnica para que o acesso ao acervo da instituição seja feito pela Internet. Segundo Denis, a reunião com o atual gestor do Arquivo serviu aprimorar as condições de utilização das ferramentas tecnológicas como recursos importantes para a preservação da história da nossa cidade. 
       Depois de concluído esse trabalho, Uberaba será referência no mundo digital com o maior e mais bem organizado acervo documental do interior do Estado de Minas Gerais.

Denis Silva, presidente da CODIUB, com o superintendente do Arquivo Público de Uberaba, Jorge Alberto Nabut, durante reunião para tratar da disponibilização online de todo o acervo da Instituição

sexta-feira, 12 de junho de 2020

Dia Internacional dos Arquivos

9 de junho é o Dia Internacional dos Arquivos! 

Sede da Superintendência do Arquivo Público de Uberaba
Imagem: Acervo Arquivo Público de Uberaba

A data foi instituída pela Assembléia Geral do Conselho Internacional de Arquivos (CIA), realizada no Quebéc, em novembro de 2007.

Imagem: Acervo Arquivo Público de São Paulo

Este dia foi escolhido por ter sido em 9 de junho de 1948 que a UNESCO criou o CIA - Conselho Internacional de Arquivos. Além disso, o Dia Internacional do Arquivos serve para que as instituições arquivísticas em todo o mundo divulguem a sua importância junto a administração pública e a sociedade.

Processo de restauro de documentos. Imagem: Acervo Arquivo Público de São Paulo

Na semana do Dia Internacional dos Arquivos ocorrem diversas atividades organizadas não só pelos #Arquivos, mas também por centros de documentação e memória, museus, fundações e universidades. São realizados debates, seminários e cursos, todos com o objetivo aproximar estas instituições da sociedade e, assim, conscientizar sobre importância dos arquivos para preservação da memória e defesa dos direitos do cidadão.

Documentos aguardando digitalização. Imagem: Acervo Arquivo Público de São Paulo

Neste ano o tema principal da 4ª edição da Semana é “Empoderando a sociedade do conhecimento”. Até 14 de junho, instituições arquivísticas de todo o mundo estarão reunidas - de forma virtual - para debater os desafios de dar visibilidade aos acervos neste atual cenário.
Consulta ao acervo da Instituição. Imagem: Acervo Arquivo Público de São Paulo

Texto: Arquivo Público do Estado de São Paulo.

Maria Fumaça da praça da Mogiana será restaurada

A ação faz parte das comemorações dos 200 anos de Uberaba

A restauração da locomotiva é a primeira etapa da revitalização do Complexo Turístico da Praça da Mogiana. A ação vem de encontro às comemorações dos 200 anos de Uberaba e faz parte do projeto Geopark Uberaba -Terra de Gigantes. A criação do complexo turístico histórico e cultural da Mogiana é um que inclui o restauro e a proteção da locomotiva e a posterior reforma da Praça que terá pista de caminhada, playground e novo paisagismo.

O recurso para a reforma da Praça é proveniente do Edital de Apoio a Projetos de Infraestrutura Turística publicado pelo Ministério do Turismo por meio de convênio assinado com a Prefeitura. O prefeito Paulo Piau ressaltou a importância dessa ação já que Uberaba é considerada rica no contexto histórico. “Se tem uma coisa importante na cidade de Uberaba é a sua história. Uberaba é diferenciada de muitas cidades do seu porte ou até de cidades de porte maior. Nós temos jornais centenários que poucas cidades têm no Brasil, como é o caso do Lavoura e Comércio. A locomotiva que agora está sendo restaurada, por exemplo, segundo informações de especialistas, é um modelo raro, existindo apenas cinco no mundo”, pontua Piau.

Locomotiva Maria Fumaça na Praça da Mogiana. Foto: André Santos/SECOM

“Chegando a Uberaba, serviu ao nosso desenvolvimento e se aposentou. Então, é importante valorizarmos essa história, cuidando desse patrimônio com a execução dessa restauração. Mas não só isso, pois é preciso aqui uma cobertura para protegê-la e valorizar seu entorno, para que as pessoas queiram visitar o espaço, conhecer essa história e a Maria Fumaça, que vai estar livre para a foto, trazendo a família e a criança para vivenciar melhor o local. O restauro é um resgate. Estamos muito felizes por preservar a história da nossa cidade”, afirma o prefeito.

De acordo com a diretora de Turismo da Sedec, Erika Cunha, no credenciamento da proposta ao Ministério do Turismo, houve o reconhecimento da importância do local que será mais um sítio histórico e cultural integrante do projeto Geopark. “Esse ponto da Mogiana conta parte da história da cidade. A linha férrea trouxe sonhos, pessoas e negócios. Por meio da criação de novos roteiros e da importância do projeto Geopark Uberaba, que almeja a chancela da Unesco, a reforma da praça e restauro da locomotiva Mogiana permitirá agregar mais um sítio histórico e cultural para a cidade. O restauro que é feito pelo Grupo Oficina de Restauro de Belo Horizonte é o pontapé para o resgate dessa história. O prazo previsto para a restauração é de três meses e o processo licitatório para a reforma da Praça já está aberto”.

Para a presidente da Fundação Cultural de Uberaba, Jaine Basílio, um marco nas comemorações de 200 anos da cidade que não devem ser esquecidas. “Por causa da pandemia, estamos nos esquecendo dessa grande comemoração na cidade e que a Prefeitura continua com a programação normal. Temos que comemorar mais essa grande ação”.

Em 1993, pela Lei 5.347 de 13 de maio, foi tombada como Patrimônio Histórico da cidade. Maria Fumaça é o nome dado a locomotiva movida à carvão, pela fumaça que a combustão do carvão provoca. Foi importada da Inglaterra e identificada por “tipo 301” (Decreto n.º1901/1999). É uma das cinco máquinas tipo A-6-0/Tenwheel, fabricada por BeyerPegcock, que a Companhia Mogiana possuía.

Jorn. Izabel Durynek
Prefeitura Municipal de Uberaba