Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2008

UBERABA E O PODER LEGISLATIVO - DE 1837 AOS DIAS ATUAIS

Imagem
A Câmara na época do Império: os agentes executivos No Império, todo o poder era centralizado na cidade do Rio de Janeiro, capital do Brasil e na figura do Imperador. As Câmaras Municipais tinham pouca atuação e nenhuma autonomia e as leis eram elaboradas na Assembléia Provincial da cidade de Ouro Preto. A Lei provincial nº 28 de 22/02/1836, no art. 1º, eleva o Arraial de Santo Antônio de Uberaba à condição de vila. O art. 3º estabeleceu que os habitantes do novo município eram obrigados a construir, às suas custas, a casa para as sessões da Câmara Municipal, júri e uma cadeia segura, conforme plano determinado pelo governo. Irmão de Major Eustáquio, nasceu em Ouro Preto. No Desemboque ocupou o cargo de Juiz de Órfãos. Depois do falecimento de sua esposa, transferiu-se para Uberaba, onde exerceu as funções de Juiz Municipal e Delegado de Polícia. Em 07 de janeiro de 1837, período da Monarquia, a Câmara Municipal da Vila de Santo Antônio de Uberaba, foi instalada e Capitão Domingos

BREVES HISTÓRICOS

Imagem
Mercado Municipal Década de 1920 O Mercado Municipal de Uberaba foi inaugurado no dia 2 de agosto de 1924, durante a administração do Agente Executivo Geraldino Rodrigues da Cunha, e tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal pelo Decreto nº 1903, em 19 de agosto de1999. Além das relações tipicamente comerciais destinadas ao consumo da população, sua história é marcada por encontros e conchavos políticos e por acontecimentos culturais e de lazer aos domingos e feriados. Universidade Federal do Triângulo Mineiro Década de 1950 O prédio que hoje abriga a UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro), foi construído no começo do século XX e serviu inicialmente para abrigar a Penitenciária de Uberaba. Sua planta foi assinada pelo arquiteto Luigi Dorça. No ano de 1954, passou a ser ocupada pela Faculdade de Medicina de Uberaba. A federalização da Faculdade ocorreu no dia 18 de outubro de 1960, pela Lei n.º 9856, assinada pelo Presidente da República, Juscelino K

BIOGRAFIAS DE ALGUMAS PERSONALIDADES QUE NOMEIAM ALAMEDAS, AVENIDAS, PRAÇAS E RUAS DE UBERABA

Acervo do Arquivo Público, disponível para pesquisa. A - Abel dos Santos Anjos, Abílio Borges Araújo, Absalão Gomes da Silva, Adherbal Silveira Polveiro, Afonso Restivo, Afrânio de Melo Franco, Alaôr Gomes, Alberto Martins Fontoura Borges, Alceu Amâncio de Souza, Aleixo Vasques, Alexandre Campos, Álvares Cabral, Allan Kardec, André Luiz Santiago, Ângelo Prieto, Antenor Gonçalves, Antônio Borges Araújo, Antônio Carlos, Antônio Dal Secchi, Antônio Próspero, Antônio Salge, Aristides Borges, Artur Machado, Augusto Borges de Araújo, Aurélio Stacciarini e Avenir Miranzi. B – Barão da Ponte Alta, Barão de Ituberaba, Barão do Rio Branco, Benjamim Bernardino da Costa Júnior, Benjamim Constant, Bernardo Guimarães, Brasilino Sivieri e Bruno Martinelli. C – Caetano Cardosi, Campos Sales, Cândida Mendonça Bilharinho, Capitão Domingos, Carlos Tasso Rodrigues da Cunha, Carmo Caetano Valicente, Castro Alves, Casusa, Cláudio Francisco da Silva, Clóvis da Cunha Prata, Coronel Alfredo Moreira, Corone

EVOLUÇÃO DO BRASÃO DO MUNICÍPIO DE UBERABA

Imagem
Brasão Segundo o dicionário, o verbete Brasão significa: 1. insígnia ou distintivo de pessoa ou família nobre, conferidos, em regra por merecimento; escudo de armas. 2. P. ext. Divisa, emblema. 3. Fig. honra, glória. 4. Heráld. conjunto de peças, figuras e ornatos dispostos no campo do escudo ou fora dele, e que representam as armas de uma nação, de um soberano, de uma família, de corporação, cidade, etc. (HOLANDA, 1986, p. 283). O Brasão de Armas, assim como a bandeira e os selos municipais, é uma figura simbólica, uma insígnia que representa a identidade do município, a sua evolução política, administrativa e econômica, seus costumes, tradições, arte e religião. Brasão de Uberaba O Brasão de Uberaba foi criado e desenhado pelo professor, historiador e diretor do Museu de São Paulo, Afonso D’Escragnolle Taunay, a pedido de Olavo Rodrigues da Cunha, em 1928. Devido ao excesso de reprodução e às modificações de seus elementos, o Brasão perdeu a originalidade. Considerando a nece

ASPECTOS HISTÓRICOS DAS ORIGENS DA FOTOGRAFIA NO BRASIL E EM UBERABA - MG

Imagem
Em 1842, Uberaba já era a Vila de Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba e o Jornal do Comércio (RJ) anunciava o daguerreótipo, uma invenção francesa de Louis Jacques Mandé Daguerre, considerado o pai da fotografia. Joana Monteleone, em artigo do jornal Gazeta Mercantil, (16-08-1998, Campinas - SP), afirma que Hércules Florence, pintor francês radicado no Brasil – sem saber das experiências de Daguerre – teria sido o primeiro a usar, em território brasileiro, o termo “fotografia” para descrever o processo de fixar imagens com produtos químicos. A invenção cresceu com a Revolução Industrial e, segundo o mesmo jornal, fascinou Dom Pedro II, possuidor de uma coleção que homenageava a Imperatriz Teresa Cristina. Após 1842, a fotografia já era parte do cotidiano das famílias brasileiras e, em 1875, o fotógrafo uberabense José Severino Soares, o Velho Severino, foi premiado pelo Governo Imperial do Rio de Janeiro, na Exposição Nacional de fotografias. A Revista de Uberaba, conhecida com

ARQUIVO PÚBLICO RECOLHE DOCUMENTOS HISTÓRICOS

Imagem
A Secretaria de Administração e o Arquivo Público de Uberaba em cumprimento ao estabelecido na Tabela de Temporalidade de Documentos deram início aos trabalhos de recolhimento àquele Órgão dos documentos considerados de guarda definitiva que deverão integrar o patrimônio documental da cidade. A população poderá conhecer importantes projetos como os de construção de galerias dos córregos da Manteiga, atual Avenida Santos Dumont, córrego das Lages, atual Avenida Leopoldino de Oliveira e dos edifícios públicos; projetos apresentados como proposta de construção de um viaduto interligando a Avenida Jesuíno Felicíssimo à Rua Espanha, no Bairro Boa Vista e de construção de uma Unidade de Ensino. Ainda, conforme entendimentos mantidos entre a Secretaria de Administração e o Arquivo Público, os próximos documentos a serem recolhidos serão aqueles relativos ao parcelamento do solo, como por exemplo os loteamentos Jardim do Lago, Província Del Rey e Jardim Triângulo e os projetos de edificações