Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2020

HÉLVIO - 100 ANOS

Imagem
      O jornal Lavoura e Comércio na coluna MINI-KONTOS de 10 de janeiro de 1974, realizou a escolha dos destaques do ano de 1973, tendo indicado as seguintes personalidades da cidade:       Marcelo Prado -   interprete e música;     Luiz Novais - compositor de música popular, Leonardo Smelle, Padre Jorge e Luiz Gonzaga (Trio de  Câmara) - música erudita;        Wagner Schoroden   - Arquitetura;      Carlos R. Lacerda Mendonça - Poesia      Revista Convergência - Cultura      Hélvio Fantato - Artes Plásticas       De acordo com a comissão julgadora, Hélvio Fantato foi indicado porque manteve sempre uma postura em defesa dos valores humanos. Em relação as suas criações, sempre procurou descobrir novas formas de manifestações artísticas.     O Arquivo Público apresenta novas pinturas de Fantato. As imagens foram cedidas por Renato Muniz, Silvana Fantato Rezende e Vera Cecílio Fantato. Imagem cedida por Renato Muniz Imagem cedida por Renato Muniz Imagem cedida por Silva

Centenário de Hélvio Fantato

Imagem
A comunidade artística e cultural de Uberaba se prepara para a comemoração dos cem anos de nascimento do artista plástico Hélvio Fantato, dia 9 de agosto http://www.sabercultural.com/template/ArteBrasilEscultores/FantatoHelvio2.html O Arquivo Público de Uberaba dará início à inserção de imagens de suas obras (desenho, pintura e escultura)  em suas redes sociais. Acompanhe conosco essas reveladoras imagens. As fotos estão sendo enviadas por colecionadores e entidades públicas. Aproveitamos para solicitar às pessoas que guardam os trabalhos de Fantato, que enviem imagens para a formação de um acervo de sua grande produção artística. Pessoas e entidades que contribuíram para esta exposição do centenário de Hélvio Fantato 1.           Alcione Araújo 2.    Ana Miriam Vasques 3.    André Fantato 4.    André Laterza 5.    APAE 6.    Beatriz Teixeira 7.           Cláudia Fantato 8.    Claudiovir Delfino 9.    Cristiana Vasques 10.  Dagmar Santos Castro 11.       Dal

Uberabense na II Guerra Mundial

Imagem
Tasso Rodrigues da Cunha nasceu no dia 03 de setembro de 1918, na Fazenda Cachoeira, em Uberaba. Trabalhou como bancário e contraiu matrimônio com Maria Evangelina Costa Oliveira, dona Vange. Tasso foi dispensado da guerra. Entretanto, voluntariamente se apresentou ao comando do Exército e seguiu para o campo de batalha. Tasso Rodrigues da Cunha enfrentando o inverno italiano Tasso serviu como cabo no XXI Regimento de Infantaria e foi agraciado com o diploma da medalha de campanha. Diploma recebido por Tasso Rodrigues da Cunha em 1965 O Brasil (de Vargas) declarou guerra ao eixo Roma- Berlim-Tóquio, no ano de 1942. Em 1944, os pracinhas uberabenses desembarcaram em Nápoles e depois seguiram para Monte Castelo, principal ponto de combate das tropas brasileiras. Na época, a Itália se rendeu, tendo se desligado do eixo e se aliado aos Estados Unidos e Brasil. A principal missão das tropas aliadas foi combater o exército nazista dentro da Itália. Batalhão

MULHERES MUSICISTAS DE UBERABA

Imagem
Pesquisa de Olga Frange destaca a importância da participação  feminina na produção musical em Uberaba Olga Frange investiga a atuação das uberabenses na seara musical dos séculos XIX e XX       Depois de mergulhar em pautas musicais elaboradas em Uberaba por praticamente dois séculos, Olga Frange dá sequência a seu livro sobre a história da música em Uberaba, agora voltado para produção feminina.         Em suas pesquisas, desde o final do século XIX e primeiros anos do século XX, ela se deparou com farto material, o que revelou a realidade da participação da mulher na produção musical da cidade.         Em conversa com o superintendente do Arquivo Publico de Uberaba, Jorge Alberto Nabut, Frange elenca as mulheres que se destacaram no setor musical, seja compondo, seja regendo ou tocando piano, o instrumento comumente dedicado a elas naquela época.        A pesquisadora trouxe à tona a produção e atuação musical de musicistas uberabenses, como Graziela Soares Lop

Webinário sobre Patrimônio

Imagem
Seminários transmitidos pela WEB enfocam o Patrimônio Arquitetônico e Herança Cultural            Os seminários terão temáticas diversificadas e os interessados poderão participar, em casa, das apresentações feitas por teóricos, professores e estudiosos sobre o assunto. Entre os temas apresentados, Patrimônio Na Live, organizado   pela Universidade Federal do Mato Grosso, terá a presença de palestrantes das cidades de São Paulo, Ribeirão Preto, Campinas e Campo Grande, além de professores das universidades dos estados do Piauí, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Paraná e Minhas Gerais.      Os dias das apresentações estão informados nos convites abaixo: Universidade Federal do Rio Grande do Sul

AS TRÊS AMÉRICAS

Imagem
Uma das ilustrações de hoje é a alegoria sobre as três Américas. A publicidade há muito já seduzia o mundo – os cartazes de Mucha e Toulouse Lautrec já eram espetáculos gráficos, anunciando os espetáculos do palco – e as companhias de navegação já mandavam bala na divulgação de seus produtos de viagem, com a melhor propaganda. Que o diga a belíssima publicidade que uma daquelas companhias fez em 1931, sobre roteiro turístico pelas três Américas. Em linha direta, o cruzeiro passava por Nova York, Barbados, Trinidad – com opção para Colón e Panamá –, Bahia, Rio de Janeiro, Santos, Montevideo e Buenos Aires, em linha direta com opções para Punta, Valparaíso, Mollendo, Callao, Guayaquil, onde poderia atravessar o Canal do Panamá. Em trajes esvoaçantes, duas mulheres se dão as mãos e ali estão representadas as três Américas. Está na hora de alguma companhia marítima recuperar o belo painel e expô-lo ao público, quando a pandemia descer para o grau mínimo. As três Américas representadas

O grande artista da areia

       O artista Jamie Harkins desenvolve desenhos nas areias das praias da Nova Zelândia.          Trata-se de uma criação efêmera e espetacular, pois, em poucos instantes depois de criada, a obra se apaga devido à maré. Ele é considerado um gênio da perspectiva. Com um simples pedaço de madeira, o artista desenha sobre a areia obras em 3D. De um ponto de vista específico, a ilusão e a magia de sua obra aparecem. Para o criador dos desenhos, “a arte é um modo de vida e eu espero que meu trabalho inspire outras pessoas a acessar a sua imaginação... a viver a criatividade da vida!”

UM DOMINGO EM UBERABA

Jorge Alberto Nabut Ao lançar a genealogia dos Rodrigues da Cunha, Valias e Venceslau, o dinâmico Antônio Ronaldo Rodrigues da Cunha chamou a atenção pela fase de cronista da esposa Leila Venceslau (1934 - 2013), colaboradora dos jornais  O Triângulo , com 39 crônicas, em 1952, e  Correio Católico , com 37 crônicas, em 1954. Dali, selecionei a do título acima, que foi publicada em 29 de abril de 1952. Confiram:   “UM DOMINGO EM UBERABA, cidade festeira, não deixa escapar nenhuma oportunidade em que possa dar largas a seu espírito jovial. O domingo aqui, por si mesmo, é uma festa. O bonito céu uberabense abre o dia, irradiando claridade, brilhando como os olhos das garotas, felizes diante de um programa farto. O UTC monopoliza a manhã. Sento-me à varanda. Uma brisa mansinha faz dançarem as ramagens verdes, ao som da música que irrompe do salão. Lá embaixo a piscina recebe os nadadores que aproveitam a folga dominical. A bolinha na quadra de tênis, pulando de lá e de cá, perde em

Águas Brilhantes 13

Imagem
Esportes em Uberaba Semana passada recebemos no Arquivo Público de Uberaba, a equipe da Funel. No encontro, nos apresentaram o projeto Memorial do Esporte. Se tudo der certo, ele será implantado no estádio Uberabão. Ideia maravilhosa: contar a história dos esportes em Uberaba, utilizando os mais modernos recursos tecnológicos e permitindo acesso gratuito a todo esse conhecimento. O assunto de hoje vai em homenagem ao Vandinho, Jéssica e Luis Medina. 1933.  A meninada da Escola Santa Terezinha fazendo ginástica. Ali, terra, só terra.  A molecada descalça. E a professora, postura ereta, atenta.                          Janeiro de 1952. Prova ciclística. Trajeto: ruas do centro de Uberaba.  Vitória tranquila e sossegada de Antenor José Borges. 1952 – Treinador Jamil orientando o time feminino de vôlei do Jockey Club . Miguel Jacob Neto