quinta-feira, 13 de abril de 2017

Páscoa em Uberaba

Luiz Cellurale
Miguel Jacob Neto


            Em todo ano a data do Carnaval é alterada, assim como as datas da Semana Santa, de Corpus Christi e de outras festividades religiosas. A Páscoa é a festa central das igrejas, tanto judaicas, quanto cristãs.

            Páscoa tem origem etimológica na palavra hebraica "pasach", que significa passagem, em uma referência ao episódio bíblico e histórico da libertação dos hebreus, da escravidão no Egito, quando a opressão em que viviam deu lugar à liberdade. Os cristãos se apropriaram da festa judaica para a celebração da ressurreição de Cristo, e a representaram como passagem da morte para a vida eterna. É sempre comemorada pelos judeus na primeira lua cheia do mês de Nissan (nome dado ao primeiro mês do calendário judaico religioso – sétimo mês do calendário civil).

            O calendário gregoriano (nosso calendário atual) é baseado no sistema solar. As Igrejas cristãs adotaram o domingo seguinte ao da Páscoa judaica como o da celebração da Ressurreição de Jesus. Desta forma, para nós que vivemos no hemisfério Sul, o domingo de Páscoa é, portanto, aquele que se segue à primeira lua cheia do outono. O domingo de Carnaval é sempre o sétimo antes da Páscoa cristã. A quinta-feira de Corpus Christi é sempre a primeira depois do domingo da Santíssima Trindade, comemorado 57 dias depois da Páscoa. Assim, o domingo da Páscoa é a data de referência das demais festas litúrgicas chamadas móveis, pois há as que não se alteram, como o Natal, comemorado invariavelmente no dia 25 de dezembro. 

            Em Uberaba, desde o surgimento da cidade, há 197 anos, se comemora o ritual da Páscoa. Como em todas as cidades do mundo, aqui também se verifica a diversidade e o sincretismo de culto religioso, com predominância para o cristianismo. No entanto, notícias de jornais dão conta da importância das comemorações desta data, tendo em vista a participação da população no drama religioso da paixão e morte de Cristo.

            Até hoje, todos os dias da semana que antecediam a Páscoa são celebrados solenemente, com participação popular em procissões e em práticas rituais em recintos religiosos. Por isso esse período ficou conhecido como Semana Santa.

            O primeiro domingo de ramos relembra a entrada de Cristo na cidade santa de Jerusalém, quando foi aclamado pelo povo naquela época. Em Uberaba este ritual se repete anualmente onde os próprios fiéis carregam os ramos numa procissão que culmina na Igreja.

            Na segunda-feira ocorre a procissão do encontro. Comumente as mulheres carregam pelas ruas da cidade o andor de Nossa Senhora das Dores e os homens, a imagem de Cristo morto. Em determinado momento acontece o encontro das duas imagens.

            Um dos exemplos mais significativos da devoção popular no passado ocorreu no ano de 1904, quando a imagem de Nossa Senhora das Dores foi recebida na Estação da Mogiana, vinda de Igarapava, e percorreu a rua Barão de Ataliba (atual Artur Machado), seguida por uma multidão de fiéis para a procissão do encontro, quando as imagens  de Nossa Senhora e a de Cristo se cruzaram ao som do cântico de Verônica[1].


Procissão do Encontro - 1904

                Na quinta-feira santa há a instituição da Eucaristia. Momento sagrado no qual se procede a releitura do trecho bíblico no qual Cristo, reunido com seus discípulos, consciente de que seu futuro estava decretado, garantiu a sua permanência junto a humanidade sob a forma da partilha do pão e do vinho, que se transformariam no seu próprio corpo e sangue. Para isso, Jesus tomando o pão disse: " tomai e comei, isto é o meu corpo que será entregue por vós e tomai e bebei, este é o cálice de meu sangue, o sangue da nova aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados"!

            Os momentos mais acentuados na Sexta-feira da Paixão, acontecem às 15h, em todas as Igrejas do mundo, quando os católicos celebram a morte de Cristo. Em canto fúnebre, o sacerdote mostra à comunidade uma imagem de Cristo morto na cruz enquanto entoa o seguinte cântico: "eis o lenho da cruz no qual pendeu o Salvador do mundo".

            No sábado, a vigília pascal marca o reencontro com a divindade ressuscitada. A Páscoa é o momento mais importante de toda a semana e significa a realização plena da existência humana. Por isso, é uma celebração muito concorrida. Na foto abaixo observa-se o grande agrupamento de pessoas em frente à Catedral, que se tornou pequena para o número de participantes, no ano de 1938.
Missa da Páscoa em 1938

 Abaixo seguem algumas notícias de jornais que demonstravam a importância desse acontecimento religioso.














[1] Verônica é um personagem bíblico que limpou com um lenço a face Cristo enquanto ele se encaminhava ao Gólgota para ser crucificado. Em seguida, notou que os contornos de seu rosto ficaram marcados no lenço devido à quantidade de sangue que escorria de seu rosto. Quando ela o abriu para mostrar à multidão entoou um canto que é repetido todos os anos durante a procissão do enterro:
O vos omnes qui transitis per viam, attendite, et videte si est dolor similis sicut dolor meus. Attendite, inversi populi et videte dolorem meum.
Tradução: Oh vós homens que passais pela via, vinde e vede se há dor semelhante à minha.Atentai povos do mundo e vede a minha dor.


Nenhum comentário: