sexta-feira, 14 de julho de 2017

A intrigante queda do avião soviético em Uberaba em 1982


Aproveitando que o presidente Temer "ressuscitou" em visita a Rússia recentemente a URSS - União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, não custa lembrar o dia em que – bem no meio da famosa Guerra das Malvinas – os soviéticos invadiram a pacata cidade de Uberaba (ou, pelo menos, invadiram nossos hospitais…)

A capa do Jornal da Manhã da terça-feira, 18/05/82, com as fotos feitas pelo repórter Paulo Nogueira. O jornal não circulava nas segundas-feiras.



Fazia sol e calor naquele domingo, 16 de maio de 1982. No Uirapuru rolava um campeonato de patinação, as primeiras sessões da tarde aconteciam nos cinemas do centro da cidade e uma animada partida de futebol era acompanhada por umas duzentas pessoas no campinho de terra perto da cabeceira da pista do aeroporto, do lado do Parque das Américas – onde hoje há uma praça de esportes.

Foi quando, por volta das 16h00, um jatinho executivo desgovernado vazou a pista, atravessou a cerca de arame farpado e – detido por um providencial barranco no meio do caminho – por pouco não invadiu o campo de futebol onde acontecia a pelada. E qual não foi a surpresa dos uberabenses quando, de dentro do avião acidentado, começou a sair um bando de sujeitos loiros e muito assustados falando uma língua enrolada que ninguém entendia.

A explicação: o jatinho Learjet 25B da TAM-Taxi Aéreo Marília tinha sido fretado pela mineradora CBMM para levar o embaixador soviético no Brasil e sua comitiva até a cidade de Araxá, para visitar a planta de produção de nióbio. Na época, a União Soviética era uma das grandes compradoras do minério. Concluída a visita, o Learjet havia decolado de Araxá e pousava em Uberaba para encher o tanque antes de retornar a Brasília.

Dos dez ocupantes da aeronave, os dois tripulantes e a maioria dos oito passageiros teve apenas ferimentos leves, além do susto. Encaminhados aos hospitais da cidade, foram liberados pouco depois. Permaneceram internados somente a esposa do embaixador e um integrante da comitiva soviética, feridos com maior gravidade – além do então presidente da CBMM, José Alberto Camargo.

Estranhamente, Camargo estava sentado no banco do co-piloto na hora do acidente e, com o pé esquerdo prensado pelas ferragens, ficou três horas preso na cabine de comando do avião até ser resgatado pelos bombeiros – enquanto os pilotos do avião e PMs do 4º BP chamados às pressas tentavam afastar os curiosos e impedir os jornalistas de fotografar o sinistro – chegando até confiscar filmes e câmeras fotográficas. Só temos hoje as imagens porque o repórter Paulo Nogueira, do Jornal da Manhã, enganou os policiais entregando a eles um filme virgem, como se fosse o que já tinha utilizado.

No fim, ninguém morreu ou se feriu seriamente. Mas na onda de boatos que se seguiu, especulou-se que José Camargo (que era piloto brevetado, mas sem certificação para Learjet) estaria no comando do avião durante o desastrado pouso – e não teria conseguido parar o jatinho nos 1750 metros de asfalto da pista. Uma acusação que foi veementemente contestada pelo comandante Roosevelt Canhede e seu co-piloto José Luis Chapale, os responsáveis pela aeronave.


O assunto foi rapidamente abafado na imprensa e as investigações oficiais determinaram como causa do acidente uma dupla falha nos freios e no sistema de reverso dos motores do Learjet (essa combinação "TAM" e "reverso" ainda iria assombrar o país por algumas décadas). Eu nunca soube se os tripulantes sofreram alguma sanção pela irregularidade. Mas o jato PT-KZY teve perda total e foi sucateado.

Para coroar a aura de mistério que cerca esse acidente, um fato curioso: em todas as bases de dados nacionais e internacionais em que pesquisei, a data do evento consta como sendo "segunda-feira, 24 de maio de 1982", oito dias depois da data real da ocorrência. Alguém arrisca uma explicação?

Texto: André Borges Lopes



Começam as investigações com uma pergunta: por que o presidente da CBMM estava, durante o pouso, ocupando o assento do co-piloto no Learjet fretado?


            A notícia na Folha de São Paulo de terça-feira, 18/05/82


No site da Flight Safety Foundation o relato oficial do acidente, com a data errada: segunda-feira 24 de maio, em vez de domingo 16 de maio de 1982. Mistério...
Foto de um anúncio publicitário da época mostra um dos Learjet 25B da frota da TAM, do mesmo modelo do PT-KZY que se acidentou em Uberaba.


Nenhum comentário: