sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Curso do SENAC - Uberaba visita dependências da Superintendência do Arquivo Público de Uberaba


Nesta semana, a professora Patrícia Melo e onze alunos do curso em "Assistente Administrativo", promovido pelo Serviço de Nacional de Aprendizagem Comercial - SENAC de Uberaba, visitaram a sede da Superintendência do Arquivo Público de Uberaba para conhecer como se dão os trabalhos de salvaguarda de documentos dos acervos histórico e administrativo do município desenvolvidos pela instituição.

Veja algumas imagens da visita:







quinta-feira, 1 de novembro de 2018

DOCUMENTO EM DESTAQUE: Deserção de soldados para a Guerra do Paraguai em 1865



Dr. Henriques Raimundo des Genettes foi agente executivo de Uberaba, no período de 1865 a 1869. Durante este período ocorreu o episódio da Guerra do Paraguai, onde Raimundo prestou serviço como médico no 32º Batalhão de Guardas Nacionais de Uberaba. Em apoio promoveu o alistamento de voluntários da Pátria para se incorporarem à Guarda Nacional, tendo em vista a organização do sistema de defesa militar diante da invasão do Paraguai no território do Mato Grosso (atual Estado do Mato Grosso do Sul), pelas tropas do Paraguai, em 12 de fevereiro de 1865.

Entretanto, a apresentação sem fardas e sem espadas dos recrutas mineiros, aquartelados em Uberaba, provocou embaraços aos vereadores e algumas deserções na força expedicionária.

 Outro fato que provocou baixas na tropa foi a varíola. Consta que quase um terço da população uberabense foi vítima da varíola nessa época. Cerca de 600 pessoas, entre soldados e civis, morreram nos três meses de sua duração. Na época era comum a construção de hospitais fora da zona urbana para evitar a contaminação da população por doenças infectocontagiosas. Na tentativa de coibir epidemias a Câmara construiu um “Lazareto” e transferiu os doentes para esse local.  Com a epidemia a população rural deixou de vir à cidade, ocasionando prejuízos para o comércio.

Des Genettes criou o fundo de assistência para garantir o socorro aos soldados feridos em combate.

 Apesar do recrutamento de voluntários, houve muitas deserções, causando indignação no Dr. Henriques Raimundo des Genettes, que se tornara amigo do Visconde de Taunay (engenheiro que registrou a guerra em um diário), conforme relata José Mendonça:

O cirurgião da Guarda Nacional aquartelada (Dr. des Genettes) andava furioso e debalde gastava eloquência, tentando comprimir e atalhar os contínuos acessos de terror de sua brava gente. Nada conseguiu e, no fim de pouco tempo, tudo quanto enchera o quartel se havia evaporado, levando, por cima, o fardamento distribuído, utensílios de campanha, cantinas, cinturões e o armamento! A debandada fora completa, diremos até conscienciosa.

MENDONÇA, p. 96


O documento abaixo se refere a um processo do cartório criminal do Judiciário, de 13/12/1865, onde o coronel comandante militar enviou ofício ao delegado de polícia Balbino de Morais Pinheiro, sobre possível influência do réu Fidélis José da Silva sobre soldados para desertarem.

Processo de deserção com parecer jurídico sobre o caso do réu Fidélis José da Silva. Acervo:  Superintendência do Arquivo Público de Uberaba.

Visite o Arquivo Público de Uberaba e consulte o processo e outros que lhe ajudarão a entender a história de Uberaba.


SUPERINTENDÊNCIA DO ARQUIVO PÚBLICO DE UBERABA COMPLETA 33 ANOS EM 04 DE NOVEMBRO DE 2018



 A Superintendência do Arquivo Público de Uberaba foi fundada em 04 de novembro de 1985. É considerado o maior Arquivo do interior de Minas Gerais, onde os documentos históricos e administrativos interagem na gestão documental.
As funções do Arquivo Público são: recolher, resguardar, preservar documentos históricos e dos órgãos da Prefeitura, além de receber documentos privados, de interesse público, tendo como objetivo difundi-los e disponibilizá-los aos cidadãos.
Há leis que regulamentam o tratamento que devem receber os documentos públicos. A Lei Municipal 10082/2006 definiu a política de Gestão Sistêmica de Documentos e Informações Municipais (GSDIM), que deve ser aplicada pelos órgãos municipais da administração direta e indireta.
A coordenação, implantação, gerenciamento e a normatização da GSDIM são de competência da Superintendência do Arquivo Público, vinculada à Secretaria de Governo, com a participação simultânea de todos os órgãos municipais.
              Aproximadamente cinco mil pessoas procuram anualmente o Arquivo Público, em busca de conhecimento, pesquisa e documentos.
As “Ações Educativas” desenvolvidas na instituição, junto à rede pública e particular de ensino, têm como objetivo conscientizar os alunos sobre a importância da história de Uberaba e sobre a preservação documental.  Recebe anualmente, cerca de três mil alunos.
O Arquivo Público desenvolve parcerias com as universidades com o objetivo de promover o conhecimento e a pesquisa em seu acervo documental, viabilizando, com isso, o estudo histórico da cidade.
O Arquivo tem promovido a digitalização de documentos históricos importantes e de diversos jornais do passado, para difundir, com maior rapidez, as informações na internet.
Com o surgimento dos documentos digitais a Superintendência do Arquivo Público e os órgãos públicos municipais são responsáveis pela proteção e gerenciamento dos documentos gerados pela nova tecnologia da informação.
O Laboratório de Restauro da instituição é moderno e inicia-se a capacitação de servidores para o processo de prevenção e conservação do acervo da instituição com a parceria do Fundo Estadual de Cultura.
 Resguarda jornais centenários importantes, entre eles, o jornal impresso Lavoura e Comércio de 1899 e o jornal em formato digital Gazeta de Uberaba, de 1879.
O acervo fotográfico totaliza 77 mil unidades guardadas em modernos armários deslizantes. A foto mais antiga do acervo se refere à  Rua Vigário Silva, de 1876.




Rua Vigário Silva – Ano 1876




O acervo documental da instituição totaliza 12.400 (doze mil e quatrocentas) caixas de documentos, organizado e catalogado.
O volume documental do acervo histórico é composto por seis mil e duzentas caixas. O documento mais antigo é uma Carta de Sesmaria, de 1799, e o atual compreende os jornais de 2018.




Carta de Sesmaria – Ano 1799 (século XVIII)


Os documentos mais procurados do Arquivo Histórico são os inventários.




Inventário mais antigo da instituição, de Francisco Rodrigues de Lima e Alexandrina Maria de Jesus, de 1815




Os documentos provenientes da Prefeitura estão organizados e guardados em seis mil e duzentas caixas. A série documental mais antiga data de 1940, e a atual, de 2018, é relativa a finanças.
Os documentos mais procurados do acervo do arquivo administrativo são as plantas de edificações, de particulares.

Planta arquitetônica da fachada da residência na Rua Manoel Borges, propriedade de Pedro Salomão, de 1941

 Em 2017 a instituição arquivística modernizou e iniciou as publicações e-books, pelo fato de terem baixo custo e um alcance social maior de leitores e pesquisadores. 

Publicou, então, em 2017, o primeiro e-book, Anais dos Livros de Atas da Câmara Municipal de Uberaba 1857 a 1900 - Século XIX. É uma edição inédita da série documental mais importante do Arquivo, que registra a história do município desde os primórdios.
A instituição criou a Revista Memórias, no suporte impresso e digital que contempla a história de cidadãos e instituições que contribuíram para delinear a história da cidade.
Em 2018 publicou vários e-books que estão postados no Blog do Arquivo e no site da Prefeitura.  
Outra publicação importante é o Guia do Acervo -2018, um grande avanço, que disponibiliza para os pesquisadores, em suporte digital, a totalidade do acervo documental da instituição, com objetivo de facilitar o atendimento e a pesquisa.

Marta Zednik de Casanova
 Superintendente do Arquivo Público de Uberaba





ENDEREÇOS ELETRÔNICOS:
http//WWW.uberaba.mg.gov.br/portal/conteudo,10403
Facebook: Superintendência do Arquivo Público de Uberaba