quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

A SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUIVO PÚBLICO APRESENTA UM BALANÇO FAVORÁVEL EM 2013

Várias realizações aconteceram na Superintendência como, a conquista de acervos do Jornal Lavoura e Comércio, O Sorriso, Uberaba- Jornal, Coleção Circo-Teatro, livros, revistas, DVD’s, artigos, monografias (teses de mestrado, doutorado e Trabalhos de Conclusão de Curso..
A instituição recebeu visitas importantes, entre elas do Arcebispo de Uberaba D. Paulo Mendes Peixoto para conhecer o acervo e a forma de acondicionamento e preservação dos documentos. Pela primeira vez um Arcebispo visitou a instituição e deu indicativos favoráveis para que os pesquisadores da Superintendência tenham acesso aos ricos acervos da Arquidiocese, assim como das Igrejas da Catedral e da Adoração Perpétua. Dessa forma os pesquisadores da Superintendência passam a ter maiores subsídios para aprimorar a pesquisa histórica.  A visita foi muito importante no sentido de estabelecer uma parceria com a Cúria, em nome da preservação da memória histórica do município, para que as gerações futuras possam conhecer a história da cidade e Região.
Outra visita importante à Superintendência foi da diplomata da Eslovênia Darja Radic, ex-ministra da Economia em 2010 e 2011 e do cientista Matjaz Kunave, responsável pela pesquisa em “Energia Verde” e a produção de um papel específico para a restauração de documentos, muito importante para os trabalhos da Superintendência. A visita também abre um caminho para promover em Uberaba o turismo histórico com a Eslovênia.
      Marcou presença na Superintendência o embaixador da Namíbia Lineekela J. Mboti, que falou sobre os motivos que o trouxeram à Uberaba, dentre outros, conhecer as formas de criação de gado e os Programas do Governo Federal, como o “Bolsa Família” e conhecer a história de Uberaba. A superintendência de Arquivo demonstrou que a instituição é uma das principais detentoras de documentação do município e da história de Uberaba e da região.
A instituição também recebeu os pesquisadores russos Fedor Ratnikov e Anastasia Zhukovskaya, que estão desenvolvendo um projeto cultural na área fotográfica. Nessa ocasião, estiveram em Uberaba para pesquisar imagens relativas às manifestações culturais, históricas e religiosas de Uberaba e região e também outras regiões do Brasil. Publicam suas experiências em um Blog e pretendem publicar na Russia um livro de fotografias e uma revista referente às histórias vividas em suas viagens, entre elas, a de Uberaba.
 A Superintendência de Arquivo Público em parceria com o Instituto Agronelli lançaram em novembro o livro “Meu Bairro tem história, Eu tenho Futuro”. Essa edição conta com histórias dos alunos de algumas escolas estaduais e municipais. O livro faz parte do projeto “Cultivando Cidadania: Cultura e História do Meu Bairro”.  Esse projeto é importante, pois reconstrói a história dos bairros, fazendo com que os alunos se identifiquem e se insiram no espaço. Ele amplia a cidadania, que é de extrema importância.

 Em agosto de 2013 a instituição recebeu a visita do Secretário da Cultura de Delta - Marcelo Lúcio Costa e da Coordenadora da Biblioteca- Elizabete Rosa Cruz Santos para que a Superintendência preste um apoio e orientações técnicas para a montagem e estruturação do Arquivo Público daquela cidade, em consonância com as normas nacionais de arquivo (CONARQ). O Secretário Marcelo julgou proveitosa a visita pelas informações esclarecedoras que obteve para iniciar a organização do Arquivo e na oportunidade solicitou a parceria da Superintendência de Arquivo Público de Uberaba para cooperar com esse trabalho em Delta.

A Superintendência de Arquivo Público orientou as Secretarias Municipais de Uberaba para cumprirem a política de Gestão de Documentos e Informações Municipais – GSDIM. Ressalta a importância do prosseguimento da gestão de documentos e informações municipais – GSDIM, implantada pela Lei 10082/2006, como forma de assegurar a organização, controle, proteção e preservação do patrimônio documental arquivístico da cidade de Uberaba.
     Algumas ações educativas foram desenvolvidas com o projeto “Ações Educativas: Diálogos Entre a História, a Educação e a Cultura”, que tem como objetivos valorizar a história do município e fortalecer o sentimento de identidade nas crianças, adolescentes e jovens. O Projeto desenvolve ações que estimulam nos estudantes, a curiosidade, o diálogo, à valorização e  o reconhecimento da importância da história de Uberaba, da preservação e das referências históricas, incentivando o protagonismo dos estudantes. Assim, desenvolve também conteúdos de Educação Patrimonial como: memória, bem cultural, patrimônio. O Projeto Ações Educativas oferta à comunidade escolar “Encontros de Formação para os Docentes”, com visitas temáticas monitoradas para os estudantes abordando e discutindo conteúdos como: “A Escravidão em Uberaba” e “Uberaba na Segunda Grande Guerra Mundial”, além de outros temas significativos.
A Superintendência de Arquivo mantém parceria com a UFTM, com o apoio da CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – onde a Universidade Federal do Triângulo Mineiro desenvolve o PIBID - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, com o objetivo de aperfeiçoar e valorizar a formação de professores da Educação Básica. 
A Superintendência promoveu o Primeiro Encontro de Arquivos Públicos Municipais do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, fato inédito na instituição, que reuniu aproximadamente cem pessoas para discutirem as políticas de arquivos públicos municipais com a participação de técnicos, historiadores, advogados e arquivistas de renome no país.
A instituição participou de todos os eventos de Ação para o Bem e Integração nos Bairros ocorridos em 2013 e finalizou o ano de 2013 com um saldo positivo de atendimentos ao público e a conclusão de dois livros intitulados Anais da Câmara Municipal de Uberaba–1856 a 1900 e EPAMIG na Vanguarda da Pesquisa. Além disso, foram publicados artigos em jornais da cidade referentes aos 13 de maio, A festa da Abadia e o Aniversário de Uberaba.
A Superintendência estabeleceu um projeto em parceria com o Arquivo Público Mineiro, a SECTES (Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a FAPEMIG (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais) para a implantação da Hemeroteca Digital, que contemplará também os laboratórios de Restauro e de Digitalização. A Superintendência pretende digitalizar primeiramente o Jornal Lavoura e Comércio.
Em novembro de 2013, a Superintendência de Arquivo Público foi agraciada com o Certificado de primeiro lugar da Prefeitura de Uberaba no Concurso de “Melhor Espaço em Vivência em Valores Humanos”.

Marta Zednik de Casanova
Superintendente de Arquivo Público
                                                                                              

Visita do Arcebispo D. Paulo Mendes Peixoto na Superintendência de Arquivo Público

Marta Zednik de Casanova - Superintendente de Arquivo Público em visita a Arquidiocese de Uberaba convidou o Arcebispo de Uberaba para conhecer a Superintendência de Arquivo Público, instituição que tem um rico acervo e sérias e importantes funções de orientar, resgatar e preservar a documentação do município.
A superintendente diz que é importante tornar público a documentação histórica da cidade, pois este norteamento institucional contempla a Lei Federal nº. 12.527, de 18 de novembro de 2011 que estabelece o “Acesso à Informação Pública”. A lei foi regulamentada pelo município, Decreto nº 4.955, de 17/07/2012.
 O Arcebispo de Uberaba D. Paulo Mendes Peixoto foi transferido em 2012 da Diocese de São José do Rio Preto para a Arquidiocese de Uberaba desde 01 de maio 2012. É historiador e tem mostrado grande sensibilidade à preservação da história.
O arcebispo compareceu à Superintendência na última sexta feira, 5 de julho, acompanhado de Alda Nice de Jesus e Silva - arquivista da Cúria Metropolitana de Uberaba. O Arcebispo conheceu nossas instalações, o acervo e a forma de acondicionamento e preservação dos documentos.  Demonstrou simpatia à nossa organização arquivística, pois valoriza muito a cultura e deu indicativos favoráveis para que os pesquisadores da Superintendência de Arquivo consultem os ricos acervos da Arquidiocese, assim como das Igrejas da Catedral e da Adoração Perpetua. Dessa forma os pesquisadores da Superintendência passam a ter maiores subsídios para aprimorar a pesquisa histórica.
A Superintendente Marta coloca que é muito importante estabelecer uma parceria tão importante com a Cúria, em nome da preservação da memória histórica do município para que as gerações futuras possam conhecer a história da cidade e Região.
Após a visitação foi oferecido um Coffee Break para celebrar o momento histórico, ou seja, é a primeira vez em 27 anos, desde a fundação da Superintendência de Arquivo Público, que um arcebispo visita a instituição e mostra-se simpático em abrir os arquivos da Arquidiocese para a consulta.


Superintendência de Arquivo Público




A Superintendente Marta Zednik de Casanova conversa com o
 Arcebispo D. Paulo Mendes Peixoto


O Arcebispo de Uberaba D. Paulo Mendes Peixoto e a Arquivística da Cúria Metropolitana Alda Nice Maria de Jesus e Silva
Prefeito de Uberaba Paulo Piau arremata o acervo jornalistico e fotográfico do Jornal Lavoura e Comércio

O Jornal Lavoura e Comercio foi fundado em 1899. A  ultima edição do Jornal Lavoura e Comércio circulou em 23 de outubro de 2003, quando teve seu imóvel lacrado em virtude de falência da empresa. A coleção é composta de 227 volumes (27.550 edições) e 900 mil fotografias. O jornal é centenário e de grande valor histórico para Uberaba e Região. É considerado o jornal mais antigo de Minas Gerais e o terceiro mais antigo do Brasil. Em 26 novembro de 2013 o Prefeito de Uberaba Paulo Piau, sensível  às questões culturais e sociais viabilizou o arremate do acervo jornalistico e fotográfico no valor de 180.000,00. Isso significa uma grande conquista para Uberaba e Região. A Superintendência de Arquivo Público receberá o acervo procedendo o seu restauro e a digitalização e disponibilizando-o para consulta aos historiadores, pesquisadores, instituições de ensino e comunidade uberabense, fortalecendo assim o direito pleno à cidadania no que se refere à Lei de Acesso a Informação. 

Visita da Diplomata da Eslovênia Darja Radic

Dia 23 de outubro de 2013, às 16h a Superintendência de Arquivo Público recebeu a visita da diplomata da Eslovênia Darja Radic, ex-ministra da Economia em 2010 e 2011. Ela tem grande experiência na elaboração e aplicação de competitividade nacional e estratégias de inovação, jornais e programas de políticas, incluindo a concepção e implementação de medidas específicas para a promoção do empreendedorismo e competitividade, melhorando o ambiente de negócios, a criação de incubadoras de empresas e parques tecnológicos.
Tem ampla experiência na elaboração e implementação de estratégias, políticas e legislação no setor do turismo a nível nacional, regional e local, onde ela é um autor ou coautor de todos os principais documentos estratégicos, políticas e programas iniciados em 2001 na Eslovênia. Excelente compreensão das estratégias da União Europeia. Experiência em gerenciamento de projetos, monitoramento e controle
dos mesmos. Experiência em docência em economia e gestão de projetos.
                    A superintendente do Arquivo Marta Zednik de Casanova disse que foi uma honra receber na instituição a diplomada Darja Radic pela ampla experiência na área de turismo e economia, sendo a Eslovênia um país ainda jovem, que conseguiu sua independência na década de 1990, constituindo um exemplo a seguir, pois em pouco tempo o país está em 21º lugar do mundo em desenvolvimento humano. A superintendente diz que é preciso promover em Uberaba o turismo histórico e a visita abre um caminho para essa possibilidade.


Marta Zednik de Casanova
Superintendente de Arquivo Público de Uberaba 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Superintendência de Arquivo Público recebe importante doação da coleção “Circo-Teatro”

A Superintendência de Arquivo Público recebeu dia 27 de novembro de 2013 do Agente Cultural Beethoven Luís Teixeira uma valiosa doação de 36 volumes da “Coleção Circo-Teatro”, organizada pelo Instituto Cultural Sérgio Magnani. A obra contém diversos textos da dramaturgia (drama e comédia), que foram representadas dentro de circos e fizeram um enorme sucesso, tanto em Uberaba, como em todo Brasil. Peças dramáticas de teatro como “As Almas Pertencem a Deus”, “A Louca do Jardim” e “Coração Materno” levaram o público de antigamente às lágrimas. Outras peças de comédia fizeram o público rir muito, entre elas “A Flor de Manacá, “Cabocla Bonita” e a Vingança de Ringo”.
O resgate e recebimento desta importante coleção tem um enorme valor histórico-cultural. E o que é melhor: agora a Superintendência disponibiliza o acervo para os grupos e atores de teatro, pesquisadores, instituições de ensino e público em geral.
A instituição agradece e parabeniza Beethoven pela iniciativa da doação, um ato de cidadania na valorização desta importante “coleção”.

Marta Zednik de Casanova
Superintendente de Arquivo Público

I ENCONTRO DE ARQUIVOS MUNICIPAIS DO TRIÂNGULO MINEIRO E ALTO PARANAÍBA

A Superintendência de Arquivo Público, de Uberaba realiza o I Encontro de Arquivos Públicos Municipais do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, nos próximos dias 26 e 27 de novembro, no auditório da superintendência, com o intuito de nortear as políticas de organização documental nos órgãos. As palestras serão ministradas por profissionais da área de arquivologia e história.

A abertura oficial acontece às 9h, no dia 26, com o Secretário de Administração, Carlos Bracarense e a Superintendente do Arquivo Público, Marta Zednik de Casanova. Às 10h ocorre a palestra “Ações do Conselho Nacional de Arquivos (CONARQ) voltadas para os Arquivos Públicos Municipais”, proferida pela conselheira do CONARQ, Domícia Gomes Borges. Às 11h30 o Controller do Município Paulo Leonardo Vilela falará da “Lei de Acesso à Informação”. Às 12h30 será o intervalo para o almoço e as atividades serão retomadas às 14h30 com a palestra “Institucionalização de Arquivos Públicos Municipais e Implantação de Políticas de Gestão Sistêmica de Documentos e Informações Municipais”, ministrada pela diretora do 
Arquivo Público de Itatiba - SP, Daise Aparecida de Oliveira.

Já no dia 27, às 9h, haverá a palestra “Lei de Acesso à Informação na Consolidação da Democracia”, proferida pelo Juiz federal aposentado e historiador. Às 11h será o intervalo para o almoço e às 14h acontecerá a palestra “A Experiência do Arquivo Público Mineiro na Implantação da Gestão de Documentos”, ministrada pela Assessora da Diretoria de Gestão de Documentos do Arquivo Público Mineiro, Maria de Fátima da Silva Corsino. Para fechar o evento, ocorrerá às 15h a palestra “O Uso do Documento de Arquivos para a Pesquisa Histórica”, realizada pelo professor de História da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), 
Florisvaldo Paulo Júnior. 

De acordo com Marta Zednik, o objetivo do evento é reunir profissionais de arquivos públicos, órgãos governamentais, historiadores, pesquisadores, universitários e instituições de ensino. “Vamos discutir a implantação de políticas públicas de arquivo, gestão de documentos e informações, estruturação de um arquivo, bem como a democratização do acesso à informação. O documento também nasce nos órgãos públicos, por isso é muito importante à organização e à precisão das informações”, ressaltou.
Ainda segundo a superintendente, mais de 40 Arquivos Públicos da região foram convidados, além de alunos do curso de História da Universidade Federal do Triângulo Mineira (UFTM) e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). “Esperamos pelo menos cerca de 200 pessoas para esse I Encontro regional”, destacou Zednik.

O Arquivo Público fica na Praça Doutor José Pereira Rebouças, também conhecida como Praça da Mogiana, Nº 650, no Bairro Boa Vista. Mais informações pelo telefone (34) 3338-2864 e 3312 4315.
SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUIVO RECEBE O CERTIFICADO DE PRIMEIRO LUGAR DA PREFEITURA DE UBERABA NO CONCURSO DE “MELHOR ESPAÇO EM VIVÊNCIA EM VALORES HUMANOS”

Superintendência de Arquivo Público conquistou o primeiro lugar entre os órgãos da Prefeitura Municipal de Uberaba no Concurso de “Melhor Espaço Institucional na IV Semana de Vivência em Valores Humanos”, realizada de 17 a 23 de novembro de 2013. A premiação aconteceu dia 22 de novembro no Cine Teatro Vera Cruz, onde a Superintendente Marta Zednik Casanova recebeu a premiação para a instituição.
O Arquivo para repensar e vivenciar os valores humanos, entre os servidores realizou na semana da Vivência de Valores Humanos palestras, dinâmicas diversas e teatro com os temas “Ética Profissional”, “Origens dos Valores Humanos”, “Valorização e respeito pelos colegas”, “Relacionamentos” e “Repensar nossas atitudes”. Também foi escolhido um servidor Dalton Tavares Leite da instituição como exemplo em pratica de valores humanos que recebeu um certificado do Instituto de Valores Humanos.
É importante que a pratica em valores humanos seja constante   para que haja  aprimoramento dos seres humanos, no que se refere à ética, respeito, compreensão, solidariedade, compaixão, profissionalismo etc.
Parabenizo Lourival dos Santos do “Instituto de Vivência em Valores Humanos para um Mundo Melhor” pela iniciativa.

 Arquivo Público e Instituto Agronelli lançam livro de alunos

O Arquivo Público e o Instituto Agronelli promovem o lançamento do livro “Meu Bairro tem história, Eu tenho Futuro”, às 19h desta terça-feira (12), no Cine Teatro Municipal Vera Cruz. O livro, que está em sua 6ª edição, foi escrito por alunos da rede municipal e estadual de ensino.


Essa edição conta com histórias dos alunos das Escolas Estaduais Leandro Antônio de Vitto, no Jardim Bela Vista, Bernardo Vasconcelos, no Costa Telles I, Municipal Professor José Maciotti, no Bairro de Lourdes e Estadual Carmelita Carvalho Garcia, no Bairro Margarida Rosa Azevedo.

Enquanto o Arquivo Público é responsável por fornecer o conhecimento, por meio de documentos, livros e jornais sobre as histórias dos bairros da cidade, o Instituto Agronelli edita o livro. “Os alunos visitam o Arquivo Público e a partir dos documentos escrevem as histórias de seus bairros e escolas. Cada ano nós selecionamos alguns bairros para serem lembrados nos livros”, destacou a superintendente do Arquivo Público, Marta Zednik 
de Casanova.

O livro faz parte do projeto “Cultivando Cidadania: Cultura e História do Meu Bairro”. Segundo a superintendente, o projeto é importante, pois reconstrói a história dos bairros, fazendo com que os alunos se identifiquem e se insiram no espaço. “Ele amplia a cidadania, que é de extrema importância”, ressaltou.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUIVO PÚBLICO










DIA DO ARQUIVISTA
20 de outubro

“A arquivologia esta ligada diretamente as funções de: produção, avaliação, aquisição, conservação, classificação, descrição e difusão dos documentos arquivísticos”.
Rousseau & Couture, 1998, p.265

Jacob Von Ramingen foi o primeiro autor a falar sobre arquivística, visto que o seu ensaio foi escrito e impresso no ano de 1571e intitulado “Von Registratur” (O Registrador). Diante disso, pode ter sido o responsável pelo surgimento da ciência Arquivística. Esta obra possibilitou que a Arquivística fosse estudada na Alemanha, país de origem de Ramingen, durante os dois séculos posteriores à sua publicação e ganhou diversos estudos e interpretações.
No século XIX, a ciência da organização de arquivos começa a ser influenciada pela corrente positivista e historicista, assim passa a ser considerada uma ferramenta auxiliar para historiadores. Nesta época foi editado o Manual dos Arquivistas Holandeses fortalecendo a função da arquivística no auxílio da corrente historiográfica que dominava aquela época.
 No século XX surgem novos avanços e também preocupações no sentido de proteger arquivos. Após a Segunda Guerra Mundial, no ano de 1950, era criado pela UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura o Conselho Internacional de Arquivos (CIA), o que contribui para a discussão dos fundamentos e importância da arquivística.
Na década de 1960 é editada a Elsevier’s Lexicon of Archive Terminology para organizar e padronizar as terminologias em arquivística.
No início da década de 1980 e a consequente revolução tecnológica, a arquivística sofre algumas adaptações para acompanhar tal fenômeno. Este processo intensifica-se na década de 1990 e no século XXI.
Hoje a arquivologia é uma área do conhecimento das Ciências Sociais Aplicadas, ou seja, uma Ciência da Informação. Segundo Julio Santillán, em estudo publicado no Peru na Revista De Bibliotecologia y Ciencias de la Información , a arquivística é hoje “uma Ciência que procura uma identidade própria que lhe dê autonomia e respeito da História e da Administração. Os Arquivos de todas as épocas e condições, quer Históricos quer Administrativos, são por sua vez o seu objeto”.
A arquivologia se conceitua por uma metodologia própria e específica, estuda e trata os dados contidos nos documentos arquivísticos transformando-os em informação potencialmente capaz de produzir conhecimento e desenvolvimento social. A área de atuação da Arquivologia compreende a gestão da produção, do processamento e da disseminação da informação corrente, necessária e básica para a tomada de decisões na administração contemporânea. Seu objeto de estudo e intervenção é a informação arquivística, isto é, uma informação de natureza orgânica e funcional, pública ou privada, coletiva ou pessoal, produzida, recebida e acumulada por pessoa física ou jurídica em razão de seus objetivos. Com a gestão da informação arquivística assegura-se a constituição e a preservação da memória institucional e pessoal.
No Brasil comemora-se o dia do arquivista no dia 20 de outubro, data em que foi previsto no projeto da constituinte de 1923 da criação do primeiro Arquivo Público do Brasil por proposição do deputado Pedro de Araújo Lima, (Marquês de Olinda).
A Arquivologia brasileira se fortaleceu com a  LEI Nº 6.546, de 4 de julho de 1978 que regulamenta as profissões de Arquivista e Técnico de arquivo no Poder executivo brasileiro. O Decreto nº 82.590 de 06 de novembro de 1978 regulamenta a Lei nº 6.546, de 4 de julho de 1978, que dispõe sobre a regulamentação das profissões de Arquivista e de técnico de Arquivo.
Alguns anos depois a LEI Nº 8.159, de 08 de janeiro de 1991 dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. O Decreto Nº 4.073 de 3 de janeiro de 2002 regulamenta a Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991, que dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados.
O Arquivista é o responsável pelo gerenciamento da informação, gestão documental, conservação, preservação e disseminação da informação contida nos documentos, visando à preservação do patrimônio documental.
A Lei de Acesso à Informação entrou em vigor no Brasil em 2011, exigindo dos arquivos a capacidade para atender o direito do cidadão de alcançar os documentos de interesse público. É nesse aumento de demanda que a profissão de arquivista ganha destaque. Esse profissional é o responsável pelo gerenciamento dos acervos públicos para avaliar documentos, organizar e conservar a informação relacionada, basicamente, com a gestão da atividade de instituições ou pessoas, que podem ser de natureza pública ou privada, de modo a ser facilmente localizados por qualquer utilizador do arquivo.
No âmbito das suas tarefas os arquivistas devem estabelecer e aplicar critérios de gestão de documentos, avaliando e organizando a documentação com interesse administrativo, probatório e cultural, respeitando sempre a organização original, necessitando ter conhecimentos aprofundados sobre a forma de funcionamento e estruturação das organizações para adequar a gestão do respectivo sistema de arquivo à instituição.
Procuram adequar o arquivo à respectiva produção documental, definindo e otimizando a circulação de documentos e o processo de controle através de uma “Tabela de Temporalidade Documental” estipulando os prazos de conservação e destinação final dos documentos.
A atividade dos arquivistas também tem se alterado com a introdução das novas tecnologias e aprimorado as técnicas e os instrumentos de trabalho, como a utilização de redes e de mecanismos de buscas que permitam a reconstituição dos fundos documentais de um mesmo arquivo dispersos por várias entidades. Por outro lado, o uso da digitalização permite uma completa e rápida difusão do vasto patrimônio arquivístico.
Parabenizo ao arquivista, importante profissional na preservação, organização e difusão documental.


Marta Zednik de Casanova
Superintendente do Arquivo Público de Uberaba


Edguimar Antonio de Oliveira
Diretor do Dep. de Gestão de Documentos e Arquivo Administrativo




sexta-feira, 27 de setembro de 2013

CURIOSIDADES INÉDITAS DA HISTÓRIA DE UBERABA

“Vem de longa data a mania de estragar o bem público em Uberaba. O fato aconteceu em setembro de 1895. Naquela época não existia luz elétrica e a iluminação da cidade era feita com lampiões. Aí, um indivíduo unido a seus companheiros de farra, decidiu extravasar suas tensões e eliminar o seu stress, quebrando os lampiões da cidade. Então, a Câmara Municipal de Uberaba, que era o governo na época, mandou logo um ofício ao promotor público comunicando o ato de selvageria e pedindo a imediata instalação de um processo criminal, o que certamente deve ter dado em prisão dos elementos”.

 Fonte: Livro de Ofícios e Comunicações da Câmara Municipal de Uberaba
Ano: 1894 a 1899 - Acervo SAP


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Godofredo Santos
 Diretor e Redator dos Jornais:
O Sorriso, O Jornal e Uberaba Jornal
Editados em Uberaba-MG entre 1930 e 1944


A Superintendência de Arquivo Público, de Uberaba recebeu à doação em 16/09/2013 do acervo digitalizado do “O Jornal Sorriso” – período 1930 a 1933, do “O Jornal” de 1933 a 1938 e “Uberaba Jornal” de 1938 a 1944 do Sr. Airton Magalhães Pinto, arquiteto e residente em Brasília, filho de Godofredo Santos, uberabense, um dos fundadores das referidas publicações.
 A “Revista Sorriso" que deu origem às outras publicações foi fundada em 1909. Era um semanário critico noticioso, humorístico e independente. Teve como fundadores Edgar Medina Coeli e Eduardo Formiga, os seus redatores e proprietários. No decurso de sua existência o “Sorriso” mudou de denominação e teve diversos proprietários e diretores, redatores e um grande número de colaboradores. Em 06/04/1930, Godofredo deu início à nova fase da edição, intitulado o jornalO Sorriso”, de 1930 a 1933, com participação de redatores e colaboradores intelectuais: Alceu de Souza Novaes (A. Luce), Egydio Fantato, Quirino Pucci, Solon Fernandes, Gabriel Totti, José Tiradentes de Lima, Odilon Paes de Almeida, Sebastião Guimarães, Lucio Azevedo, Paulo Bandeira de Mello, José Vicente de Souza Netto (redator esportivo) e outros. Na sequência editou “O Jornal”, de 1933 a 1938 e o “Uberaba – Jornal”, de 1938 a 1944, fechando um período de 14 anos de edições semanais, no mesmo endereço na Rua Artur Machado nº 113, onde continuou trabalhando com serviços gráficos por mais 25 anos.
O recebimento e o resguardo das publicações digitalizadas na Superintendência de Arquivo Público significa disponibilizar para a população a consulta de um importante período da história de Uberaba e constitui uma das funções da Superintendência de Arquivo em detectar e recuperar acervos históricos.

Marta Zednik de Casanova
Superintendente de Arquivo Público de Uberaba


Godofredo Santos

Nasceu em 21/10/1903 em Uberaba, filho de José dos Santos, guarda-livros (contador) e Altina Lucas dos Santos (do lar); teve como irmãs Maria José dos Santos (professora), Julieta Lucas dos Santos, Maria de Lourdes Santos Del Papa e Altina Santos Martinelli.
Ainda criança, o quarto ano primário concluído no Grupo Escolar Brasil, foi levado por uma tia para trabalhar, como “vassoura” (office boy) e aprender ofício, na Empresa Gráfica Século XX, em Uberaba, onde se interessou e desenvolveu habilidades específicas na área gráfica. Trabalhou na empresa do Jornal Lavoura e Comércio, de Quintilhano Jardim, criativo e habilidoso recebeu, em certa ocasião, reconhecimento: "A arte de Gutenberg não tem segredos para Godofredo Santos”.
Na juventude, motivado pelo ídolo futebolístico da época, Arthur Friedenreich, Godofredo dedicou seus tempos de folgas jogando futebol; de estatura mediana se valia de forte impulsão para as disputas de bolas altas.
Na busca de novos conhecimentos e oportunidades relativos ao trabalho gráfico, tinha como propósito transferir-se para São Paulo Capital; permaneceu, entretanto, em Ribeirão Preto integrando-se, à época, às Indústrias Gráficas Barilari; em 1930 decidiu retornar a Uberaba, instalando-se em pequena área, na entrada do prédio recém-construído por Gabriel Totti, na Rua Arthur Machado nº 113. Instalou uma máquina de impressão manual e algumas fontes de tipo, iniciando seu trabalho por conta própria. Transferiu-se, para espaço maior, ainda no prédio de Gabriel Totti, edifício arrojado para época, três pavimentos, térreo, pavimento superior e subsolo, paredes grossas de alvenaria e pisos estruturados com assoalho sobre vigas de madeira e forro falso, também em madeira. Permaneceu por décadas com a Papelaria, a Tipografia e a Fábrica de Carimbos.
Neste cenário e tendo por vizinhos, de um lado, Italo de Biagi (fábrica de botas, botinas, chuteiras) e do outro, Alfaiataria Parreira; em frente Sapataria Molinar, Ourivesaria Aprile, Bar da Viúva (Vásques), Alfaiataria Caldas, Tecidos Piva, Fotos Zuza, deu início a nova fase da edição do jornal O SORRISO, de 1930 a 1933, com participação de redatores e colaboradores intelectuais: Alceu de Souza Novaes (A. Luce), Egydio Fantato, Quirino Pucci, Solon Fernandes, Gabriel Totti, José Tiradentes de Lima, Odilon Paes de Almeida, Sebastião Guimarães, Lucio Azevedo, Paulo Bandeira de Mello, José Vicente de Souza Netto (redator esportivo) e outros. Na sequência editou O JORNAL, de 1933 a 1938 e o UBERABA-JORNAL, de 1938 a 1944, fechando um período de 14 anos de edições semanais, no mesmo endereço onde continuou trabalhando com serviços gráficos por mais 25 anos.
Godofredo Santos foi casado com Ordália da Costa Magalhães Santos, tiveram quatro filhos: Leila Magalhães Santos (professora – funcionária pública, aposentada em Brasília-DF), Ayrton Magalhães Santos (arquiteto em Brasília-DF), Adilson Magalhães Santos (aposentado) e Lenita Magalhães Santos (professora, funcionária pública, aposentada em Brasília-DF); faleceu em Uberaba em 14 de Agosto de l986, com 83 anos.





sexta-feira, 6 de setembro de 2013

LEMBRANÇAS DAS MANHÃS DE 07 DE SETEMBRO
UBERABA

O sol mal se despontava no horizonte e as algazarras dos pássaros eram silenciadas pelos primeiros sons que podíamos escutar longe de algumas fanfarras e alguns foguetes pipocando no ar. Nesse dia nunca perdíamos a hora, pulávamos rápido da cama, colocávamos a melhor roupa, os sapatos surrados, mas bem engraxadinho que o papai tinha lustrado no dia anterior e estávamos prontos para ver os desfiles. Tínhamos que chegar cedo para pegar um lugar privilegiado, pois parecia que a cidade inteira se deslocava para ver o desfile.
Algumas escolas e personagens marcantes ficaram gravados em nossas memórias nas manhãs dos 07 de Setembro em Uberaba. Gostaria de citar algumas instituições educacionais e em nome dessas homenagear todas as outras escolas, seus dirigentes, professores e alunos. Escola Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, Escola Municipal Boa Vista, Escola Municipal Santa Maria, Escola Municipal Nossa Senhora da Abadia, Colégio Diocesano, Colégio Nossa Senhora das Graças, Colégio Nossa Senhora das Dores, Colégio Cristo Rei, Colégio São Benedito e tantos outras.

Quem não se lembra da beleza, era difícil apontar qual das escolas estava mais bela, tamanha era a organização e galhardia com que desfilavam pelas ruas, avenidas, clubes e estádios da cidade. Todas as alas bem perfiladas, o compasso da marcha sempre certinho e marcado no tempo exato da batida do bumbo. A harmonia entre os instrumentos como as caixas de guerra, tarol, surdo, bumbo, piston, cornetas, tubas, ditavam o ritmo e os movimentos das balizas.


Fanfarra do Colégio Cristo Rei – praça Rui Barbosa final da década de 1960


Alunos do Colégio Cristo Rei – praça Rui Barbosa final da década de 1960

Desfile 07 de Setembro – alunas do Colégio Cristo Rei 1970

Alunos do Colégio Diocesano – 07 de Setembro no Estádio Dr. Boulanger Pucci
Década de 1960


Desfile 07 de Setembro no Uberaba Tênis Clube – década de 1940

Desfile 07 de Setembro – Avenida Leopoldino de Oliveira 1985


Desfile 07 de Setembro– Fanfarra do Probem na Avenida Leopoldino de Oliveira final da década de 1990

Quando o desfile caminhava para o seu final ainda tínhamos o luxo de ver as bandas da Policia Militar, Tiro de Guerra e Guarda Municipal, finalizando com chave de ouro mais uma manhã de setembro. Fica a nossa gratidão e o nosso muito obrigado a todos aqueles que nos proporcionaram breves e eternos momentos de felicidades, luz e amor.



Banda da Polícia Militar – avenida Leopoldino de Oliveira 07 de Setembro de 2000

Desfile 07 de Setembro – Soldados do Tiro de Guerra 1987

Desfile 07 de Setembro – Soldados do Tiro de Guerra final da década de 1990


Desfile 07 de Setembro – Soldados da Guarda Municipal final da década de 1990

Perdoe pela falta de memória, com certeza ficará faltando muitos e muitos colaboradores, mas para homenagear todos os diretores das instituições educacionais, professores e alunos, que se doaram para nos proporcionar agradáveis e inesquecíveis manhãs de setembro, ficam nossos cordiais agradecimentos em nome dos Irmãos Maristas Diocesano, Professor José Thomas da Silva Sobrinho, Professor Erwim Puller, Professor Antonio Carlos Marques, Professor Minervino Cesarino.

João Eurípedes de Araújo
Diretor do Departamento de Pesquisa da Superintendência de Arquivo Público

 Fotos: acervo da Superintendência de Arquivo